Exclusivo

Ivan Moré pretende voltar à TV e não descarta Record: "Nada que não possa vir a acontecer"

Jornalista também fala sobre passagem na Globo: "É importante reconhecer quando os ciclos chegam ao fim"

 Ivan Moré pretende voltar à TV e não descarta Record: "Nada que não possa vir a acontecer"
Ivan Moré se dedica ao universo dos podcasts - Reprodução/Instagram

Thiago Forato

Publicado em 15/05 às 04:30:00

Ivan Moré, fora do ar desde o ano passado, quando deixou a Globo após 20 anos, não esconde sua vontade de voltar à TV, mas sem uma definição de quando e onde. Em entrevista exclusiva ao NaTelinha, o jornalista lembra que quase se acertou com a Record e explica o motivo do negócio não ter sido concretizado em cima da hora: "Convergência momentânea de propósitos".

continua depois da publicidade

Atualmente, Moré vem se dedicando aos podcasts Qualé, Moré? e Desobediência Produtivo há sete meses. Aos 43 anos, o jornalista começou no rádio aos 14 e diz que sua proximidade com o conteúdo de áudio sempre fez parte de sua vida. "Acredito que o podcast é o formato mais interessante e disruptivo para se consumir conteúdo hoje em dia. Seja no aprendizado, estudo, para se entreter ou explorar novos assuntos", conta ele, que depois de conversar com Tiago Bianco, da Pod360 [hub brasileiro dedicado exclusivamente a criação de podcasts profissionais], resolveu entrar de cabeça no universo.

continua depois da publicidade

Para o jornalista, o podcast possibilita o consumo de conteúdo enquanto se realiza atividades paralelas, como caminhar, correr, fazer uma tarefa doméstica ou se locomover no transporte público ou particular. "Tudo isso sem perder a concentração no que está ouvindo", salienta.

Saída da Globo, liberdade dos podcasts e quase acerto com a Record

Na Globo de 1999 até 2019, Ivan analisa sua passagem pela emissora carioca: "Vivemos por anos e anos momentos de muita convergência e sinergia de pensamento. Mas como todo bom relacionamento as coisas se transformam com o tempo. E é importante reconhecer quando os ciclos chegam ao fim".

continua depois da publicidade

Questionado sobre o que significa ser desobediente e produtivo, sintetiza: "Significa você se libertar de formatos pré-estabelecidos que limitam a sua forma de atuação. É ter a possibilidade de resolver e entregar as tarefas do seu jeito, com o seu mindset, por meio de um tripé: percepção, confiança e coragem".

Segundo ele, conseguiu implementar isso na Globo e relembra: "Sempre coloquei em prática esse pensamento para entregar mais do que o esperado, e conseguir reportagens que entraram pra história como: jogar uma partida de tênis contra Roger Federer e outra contra Rafael Nadal. Entrevistas exclusivas com grandes nomes do esporte mundial, entre eles Pelphs, Hamilton e muitos outros".

continua depois da publicidade

Depois de sair da Globo, seu acerto com a Record era dado como certo, o que acabou não ocorrendo. "Convergência momentânea de propósitos", minimiza ele, sem descartar um acerto com o canal no futuro: "Nada que não possa vir a acontecer num outro momento".

Volta à TV e quarentena

Fora da televisão desde então, o jornalista diz que vem se permitindo trafegar e desbravar outros meios de propor relevância e engajamento com o público que lhe acompanha. "Talvez esteja me sentindo mais verdadeiro com minhas ideias, opiniões e vontades", orgulha-se.

continua depois da publicidade

Sobre regressar à TV, não escondeu o desejo: "Pretendo [voltar], mas sem dar uma definição específica de quando e onde. Acho que, se e quando tiver que acontecer, vai ser muito legal. A oportunidade vai apontar o momento certo".

Em isolamento social, Ivan continua gravando seus dois podcasts e trabalhando bastante na plataforma Desobediência Produtiva, que ele explica: "A ideia é disponibilizar conteúdo prático de qualidade para provocar e transformar a vida daqueles que estão insatisfeitos com suas vidas pessoais e profissionais".

continua depois da publicidade

"Além disso, com o isolamento, tenho destinado muita atenção à família e tenho refletido sobre como passará a ser o meu papel num mundo em profunda transformação", finaliza.