Polêmica

Após repercussão de vídeo, repórter da Globo nega que tenha sofrido assédio em estádio


Fabíola Andrade
Reprodução

Após viralizar um vídeo onde aparece supostamente sendo assediada enquanto trabalhava na cobertura do jogo Corinthians x Vasco, a repórter Fabíola Andrade, do grupo Globo, utilizou o Instagram na tarde desta segunda-feira (19) para publicar uma nota de esclarecimento, negando que tenha sofrido assédio.

O caso aconteceu no último sábado (17), na Arena Corinthians, em São Paulo, e ganhou a web após o Esporte Interativo divulgar imagens de uma discussão ao encerramento da partida. Muita gente notou um movimento estranho do caboman do canal Premiere, que teria passado a mão no bumbum da jornalista.

Fabíola, porém, disse que na verdade o rapaz estava manuseando um cabo de áudio preso à sua roupa. "A respeito do vídeo que está circulando nas redes sociais desde ontem eu queria dizer que vi outros ângulos do mesmo momento do jogo e conversei com o meu colega que trabalha comigo há cinco anos. Ele me procurou várias vezes hoje. Pra mim não aconteceu assédio ou abuso. Ele estava manuseando o cabo de áudio que fica preso à minha roupa durante a transmissão, situação comum em dias de jogos", disse.

"Agradeço todas as manifestações de apoio e solidariedade, seja de amigos, seguidores, telespectadores, clubes e movimentos que lutam pelo respeito e pela igualdade de gênero. O episódio serviu para mostrar, mais uma vez, que essa luta se fortalece cada vez mais, completou.

O suposto ocorrido gerou tanta repercussão que o Corinthians emitiu um comunicado se solidarizando com a profissional da Globo. A campanha "Deixa Ela Trabalhar", que luta contra o machismo no jornalismo esportivo, também expressou seu repúdio. Mais tarde, os dois retificaram o mau entendido.

Depois de toda polêmica, um novo vídeo surgiu mostrando outro ângulo do movimento do caboman, onde é possível perceber que, de fato, ele estava puxando o fio.

Confira todas as publicações em ordem:

Mais Notícias