Memórias da Telinha

Há 20 anos, SBT era tirado do ar por defender Maluf durante as eleições

Neste ano, TSE não teve a mesma atitude com a Band

Ratinho
Logo em seu primeiro ano no SBT, Ratinho já deu dor de cabeça

Publicado em 15/10/2018 às 06:00:03

Por: Diogo Cavalcante

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) descartou, na última quinta-feira (11), punir a Band pela exibição de uma entrevista com o candidato à presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) durante o "Brasil Urgente".

Para o órgão, o fato de a emissora ter transmitido a conversa não caracterizou tratamento privilegiado, indo de encontro aos questionamentos do PSOL e PT - responsáveis por ajuizar ações contra o canal.

Se este ano a Justiça Eleitoral livrou a Band de sanções, não se pode dizer o mesmo do SBT em 1998. Há 20 anos, a emissora de Silvio Santos foi tirada do ar e multada em R$ 192 mil por tomar partido de Paulo Maluf, então candidato a governador do estado de São Paulo, durante uma edição do “Programa do Ratinho”.

Na decisão do então juiz-auxiliar Guilherme Gonçalves Strenger, o apresentador “atacou energicamente a pessoa do candidato Mário Covas e paralelamente exaltou a figura do candidato Paulo Salim Maluf”. De acordo com reportagem da Folha de S. Paulo à época, foi a terceira sanção aplicada ao SBT no período eleitoral de 1998, já multada privilegiar Maluf durante o programa de Hebe Camargo, e também Covas no “Domingo Legal”.

A emissora saiu do ar às 22h39 de 02 de outubro de 1998 (uma sexta-feira), no meio de uma exibição da “Tela de Sucessos”, e voltou pouco depois das 18h do dia seguinte (03 de outubro, sábado), durante o “Festival de Desenhos”.

Neste período, ficou no ar um slide com o texto: “Estamos fora do ar por decisão da Justiça Eleitoral, em virtude de desobediência ao artigo 45, inciso III da Lei Eleitoral (Lei 9504/97)”. A decisão só afetou o estado de São Paulo. No resto do país, a programação fora veiculada normalmente.

As eleições de 1998 aconteceram no domingo, 4 de outubro, com a vitória de Fernando Henrique Cardoso (PSDB) para presidente em primeiro turno. Na disputa do governo paulista, Maluf (do então partido PPB) foi derrotado por Mário Covas (PSDB) no segundo turno.

O SBT voltaria a ser condenado pela Justiça Eleitoral em 2012, também por culpa de Ratinho, por propaganda eleitoral antecipada do então candidato à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad (PT) - que hoje disputa a presidência da República.



publicidade

TAGS:

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!