Reportar erro
Lista NT

Neste Dia das Crianças, relembre 10 programas que marcaram a infância dos brasileiros

Castelo Rá-Ti-Bum
“Castelo Rá-Ti-Bum" fez grande sucesso na TV Cultura
Taty Bruzzi

Publicado em 12/10/2018 às 09:45:00

Nesta sexta-feira (12), comemora-se o Dia das Crianças. Em homenagem a data, destacamos 10 programas infantis que tanto sucesso fizeram na televisão, ficando guardados na memória de muitos brasileiros.

Confira!

“Vila Sésamo”

Lançado em 1972, o programa foi adaptado do “Sesame Street”, lançado pela Children's Television Workshop, por José Bonifácio Sobrinho (Boni), na época diretor da Central Globo de Produções, em parceria com Claudia Petraglia, da TV Cultura de São Paulo. Em seu conteúdo, noções educativas para crianças como letras, cores, números, higiene e respeito ao trânsito, entre outros. Tudo abordado de forma criativa e bem-humorada, além da exibição de desenhos animados e números musicais assinados pelos irmãos Marcos e Paulo Sérgio Valle. Em 1973, a produção passou a ser totalmente nacional, incluindo as versões brasileiras dos bonecos Garibaldi, Gugu e Funga-Funga, além da participação de crianças entre 3 e 10 anos. Permaneceu no ar até 1977, sendo exibido nas duas emissoras (Globo e TV Cultura).

“Programa do Bozo”

O palhaço original foi criado nos Estados Unidos em 1946 para a “Bozo at the Circus”, coletânea de discos com histórias infantis. Em 1949, ele fez sua primeira aparição na TV norte-americana interpretado pelo ator Vance Colvig. No Brasil, a adaptação do programa exibida pelo SBT entre os anos 1980 e 1991. Considerado um clássico dos programas infantis, a atração contava com a participação de alguns personagens já existentes na versão americana como a Vovó Mafalda e o Papai Papudo, além da presença de fantoches e da exibição de desenhos animados como Pica-Pau, Popeye e a galera do Looney Tunnes, entre outros.

“Clube da Criança”

Exibido pela extinta Rede Manchete, estreou em 1983 sob a direção do Maurício Shermann e apresentação da Xuxa Meneghel, que permaneceu à frente da atração até sua ida para a TV Globo, em 1986. A atração contava com brincadeiras entre as crianças da plateia como cabo-de-guerra, pular corda e jogo dos pratos, além da exibição de desenhos animados. Com a saída da apresentadora, em 1987 o programa passou a ser apenas uma sessão de desenhos animados. O Clube da Criança só retomou o formato original no ano seguinte, quando passou a ser comandando pela dupla Ferrugem e Angélica, posteriormente só pela loira que já contava com a ajuda de assistentes de palco, entre elas Camila Pitanga e Giovanna Antonelli.

“Xou da Xuxa”

O programa estreou em 1986 e marcou a entrada da Xuxa na TV Globo, que faria carreira por mais de 20 anos na emissora carioca. A atração ia ao ar todas as manhãs, de segunda à sábado. Permaneceu na grade da programação até 1992, se tornando o programa infantil de maior sucesso da história da televisão brasileira. Contava com assistentes de palco, brincadeiras entre a plateia, números musicais e a exibição de desenhos animados. 

“Show Maravilha”

Estreou em 1987, substituindo a segunda sessão do “Programa do Bozo”. Apresentado por Mara Maravilha, a atração contava com brincadeiras de auditório, apresentação de números musicais, exibição de videoclipes e de desenhos animados. Permaneceu no ar até 1994, tornando-se um dos programas infantis de maior sucesso na emissora paulista.

“Rá-Ti-Bum"

Produzido pela TV Cultura em parceria com a FIESP e o SESI-SP, estreou em 1990 e permaneceu no ar por quatro anos. Com direção de Fernando Meirelles, a atração eternizou o bordão “Senta, que lá vem história”, nome de um dos quadros do programa infantil. Apostava no lúdico, sempre se preocupando em passar para as crianças noções de ecologia e cidadania, além dos ensinamentos em matérias como Português e Matemática. Em seu elenco nomes como Marcelo Tas (ex-CQC), que interpretava o professor Tibúrcio, e Carlos Moreno (garoto-propagando da “Bom-Bril”), como o detetive Máscara.

“Castelo Rá-Ti-Bum"

O spin-off do extinto “Ra-Ti-Bum", é uma série infanto-juvenil educativa produzida pela TV Cultura. Criado pelo diretor Cao Hamburger em parceria com o dramaturgo Flávio de Souza, o programa lançado em 1994 permaneceu no ar até 1997. Contava a história dos amigos Biba, Pedro e Zequinha, que vão parar dentro de um enorme castelo mágico. Chegando lá, eles conhecem o Nino e demais habitantes como a cobra Celeste, o mostro Mau e o gato da biblioteca, entre outros. Assim, o castelo se torna ponto de encontro das crianças que se veem diante de muitas aventuras e situações engraçadas.

“TV Colosso”

Exibido nas manhãs da TV Globo, o infantil estreou em 1993 e permaneceu no ar por três anos. A atração apresentava uma emissora de TV comandada apenas por cachorros e o elenco principal era formado pela produtora Priscila, o diretor de imagens Borges, o faz-tudo Gilmar, o CEO e mentor da “TV Colosso” JK, o puxa-saco Capachildo Capachão, o chef de cozinha Gilmar, o mago Malabi e um trio de pulgas que viviam na mesa de controle sabotando o circuito elétrico. Além de esquetes, o programa contava com a exibição de desenhos animados.

“Disney Club”

A atração passou por diversas transformações. De 1993 a 1995, foi exibido nas manhãs de domingo pela TV Globo e contava apenas com a exibição de desenhos da Walt Disney Company. Antes de ser vendido para o SBT, chegou a fazer parte da “TV Colosso” como um quadro, sendo apresentado pelo personagem Zé Carioca. Entrou para a grade da emissora paulista em 1997, permanecendo até 2001. A partir daí, passou a se chamar “Disney Cruj”. No novo formato, exibia a transmissão "ilegal" de um programa feito por crianças que contava com o ator Diego Ramiro interpretando Caju, líder da turma de ultra-jovens composta, ainda, por Chiclé, Macaco e Maluca. Dentre os grandes bordões do programa temos as frases "Não somos crianças. Somos ultra-jovens e merecemos respeito!" e "CRUJ, CRUJ, CRUJ, Tchau!".

“TV Globinho”

Por 15 anos, a TV Globo produziu o “TV Globinho”. A atração tinha como principal objetivo a exibição de desenhos animados. Inicialmente, surgiu em formato de quadro no programa “Bambuluá”, apresentado por Angélica nas manhãs da emissora de segunda a sexta-feira. Com o término da atração, o quadro se tornou um programa independente. A estreia do “Encontro com Fátima Bernardes”, em 2012, transferiu a atração para as manhãs de sábado. Entretanto, a queda constante na audiência acabou provocando o seu cancelamento em 2015. 

Mais Notícias