Senador

Família, salário e queda nas pesquisas teriam feito Datena repensar candidatura

Divulgação

Publicado em 09/07/2018 às 07:50:34

Por: Sandro Nascimento

Cinco dias após deixar o comando de seu programa na Band para ser candidato ao cargo de senador por São Paulo, José Luiz Datena surpreendeu o público com a possibilidade de rever sua decisão.

De acordo com pessoas ouvidas pela reportagem do NaTelinha, três fatores teriam contribuído para a indecisão de Datena em voltar ou não à TV no último domingo (08) e abandonar definitivamente suas pretensões políticas nas próximas eleições.

O primeiro ponto seria a pressão familiar. O próprio apresentador já tinha relatado essa questão em entrevista à coluna de Mônica Bergamo na Folha de São Paulo na última quinta-feira (05).

“A mulher (Matilde) não dorme, chora o dia inteiro pedindo que eu desista. O filho [Joel] diz o tempo todo: ‘Ô pai, para com isso’. O outro filho, Vicente, também não quer. É difícil. É um jogo contra dentro de casa”, contou o apresentador.

O segundo fator foi a questão financeira. Sendo o artista mais bem remunerado da Band, Datena recebe mensalmente valores torno de R$ 300 mil. Atualmente, o salário de senador federal está fixado em pouco mais de R$ 33 mil, ou seja, representa aproximadamente 11% do que ganha na televisão.

Com seu alto padrão de vida e muitos compromissos assumidos, a dúvida seria como Datena sobreviveria com essa redução drástica em seus proventos pelo próximos quatro anos.

Pela lei, o jornalista poderia até retornar ao comando do "Brasil Urgente" após as eleições, mas como senador, teria que permanecer ao menos na terça, quarta e quinta-feira em Brasília. Com esse cenário, buscando conciliar sua vida política com a artística, teria que se ausentar da apresentação do policialesco da Band ao menos nesses três dias.

Com isso, pode existir a possibilidade do seu salário ser reduzido na mesma proporção com que diminui seus serviços prestados à televisão da família Saad.

A queda de 10 pontos percentuais na intenção de votos entre uma pesquisa divulgada em abril e outra em junho também pode ter contribuído para o apresentador repensar sua intenção de ser candidatar como senador.

Segundo pesquisa do Ibope em abril, contratada pela Band antes de sua confirmação nas eleições em outubro, Datena tinha 33% da preferência e liderava a corrida eleitoral, seguido por Eduardo Suplicy, com 32%, e Marta Suplicy, com 25%.

Porém, três meses depois, já com o anúncio da sua candidatura, Datena caiu de forma vertiginosa em nova pesquisa, também contratada pela Band e divulgada no dia 29 de junho.

Nela, o comunicador obteve 23% das intenções de voto, contra 29% de Eduardo Suplicy e 22% de Marta Suplicy. Ou seja, uma queda de 10% entre duas pesquisas do mesmo instituto e separadas pelo período de apenas três meses. Essa pontuação poderia ter assustado Datena e seus correligionários do DEM, partido em que é filiado.

Segundo fontes, até o dia 5 agosto, prazo final para as convenções partidárias definirem seus candidatos, ainda pode ocorrer uma nova reviravolta na intenção de Datena em concorrer ao senado por São Paulo.

Enquanto isso, a Band definiu que Joel Datena substitui seu pai no comando do diário "Brasil Urgente" e no semanal "Agora é Domingo". Netinho de Paula também foi convocado para assumir três horas do dominical que pertencia a Datena.

No programa de estreia na Band, Netinho de Paula marcou apenas 0,6 ponto de média, e em seguida, Joel Datena atingiu 1,8 pontos na audiência, segundo dados consolidados da Kantar Ibope na Grande São Paulo.



publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!