Engajamento

Audiência de Olhos que Condenam e Cara Gente Branca cresce durante protestos nos EUA

Produções da Netflix falam das injustiças causadas por causa do racismo

Audiência de Olhos que Condenam e Cara Gente Branca cresce durante protestos nos EUA
Olhos que Condenam ganhou prêmios - Foto: Reprodução/Netflix

Publicado em 08/06/2020 às 11:21:00

Por: Redação NT

A série Cara Gente Branca e a minissérie Olhos que Condenam estão sendo mais assistidas nos últimos dias por conta das manifestações contra o racismo nos Estados Unidos. As duas produções debatem a questão racial e como os preconceitos afetam a vida desses personagens.

De acordo com informações do relatório divulgado pela empresa Parrot Analytics, o público de Cara Gente Branca cresceu cerca de 330% entre os dias 27 de maio e 2 de junho, enquanto o interesse por Olhos que Condenam aumentou em quase 150%.

A análise feita pela instituição comercial apontou que os norte-americanos passaram a procurar as duas produções com maior frequência depois que George Floyd morreu. O rapaz negro ficou conhecido após ter sido asfixiado por um policial branco em Minnesota.

Ashley Alleyne-Morris, diretora da Parrot Analytics, comentou que enxerga o crescimento de buscas para as duas obras da Netflix porque o público tem procurado uma forma de se educar e entender um pouco mais como o racismo prejudica a comunidade negra.

Como a Netflix raramente informa a quantidade de pessoas que assistem aos seus programas, a Parrot Analytics realizou seu estudo através de análises de engajamento nas redes sociais e as buscas na internet sobre as produções.

Cara Gente Branca e Olhos que Condenam

Cara Gente Branca relata a história de um grupo de estudantes negros em uma faculdade dos Estados Unidos. O enredo é bem-humorado, mas não foge de temas delicados e embarca no racismo, já que os alunos negros precisam lidar com um ambiente onde a maioria é branca.

Já Olhos que Condenam é uma minissérie de quatro episódios que relata um fato real que ocorreu no país norte-americano. Cinco adolescentes negros são acusados injustamente de um crime violento no Central Park, em Nova Iorque. Eles são condenados pela opinião pública e policiais antes mesmo das investigações, mas conseguem provar inocência quase duas décadas depois.

publicidade




LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!