Reportar erro
Por Amor

Flor do Caribe: Cristal trai o pai e embarca Cassiano para o Brasil

Após cavar um túnel, piloto e Duque escapam da prisão pelo pântano

Moro Anghileri
Cristal ajuda na fuga de Cassiano em Flor do Caribe - Reprodução/TV Globo
Taty Bruzzi

Publicado em 10/09/2020 às 07:43:00

Nos próximos capítulos da novela Flor do Caribe, Cassiano (Henri Castelli) finalmente vai conseguir fugir das garras de Dom Rafael (César Troncoso). Depois de cair em uma emboscada armada por Alberto (Igor Rickli), o piloto vai passar os últimos sete anos escravizado pelo mafioso. Dividindo uma cela com Duque (Jean Pierre Noher), ele e o estelionatário vão tentar fugir mais de uma vez. Logo na primeira tentativa, o noivo de Ester (Grazi Massafera) é captuado pelos capangas do bandido e levado, machucado, para uma prisão de segurança máxima.

Lá, os amigos traçam um novo plano de fuga e depois de estudar bem a localidade, cavam um túnel. Será por este caminho que eles escapam. No entanto, a liberdade só virá pelas mãos de Cristal (Moro Anghileri).

Apaixonada pelo Oficial da Aeronáutica, a filha de Dom Rafael vai trair a confiança do pai e embarcar Cassiano e Duque em um navio rumo ao Brasil. Confira o que vem por aí!

Em Flor do Caribe, Cassiano e Duque escapam da prisão

Flor do Caribe: Cristal trai o pai e embarca Cassiano para o Brasil

Na novela Flor do Caribe, Cassiano finalmente ganha sua liberdade. Feito escravo por Dom Rafael, o piloto de caça vai passar os últimos sete anos em uma prisão de segurança máxima. Cansado de esperar que alguém da Aeronáutica o resgate, o oficial cai em si e percebe que sua única chance é cavar um túnel. Somente assim, ele e seu companheiro de cela, Duque, vão conseguir escapar daquele inferno.

Após uma passagem de tempo, os amigos aparecem colocando pinos na parede e que vão ficando cada vez mais distante do chão. Até que o noivo de Ester surge com o último pino em mãos. “Ollêêêêê!”, comemora Duque.

Na sequência, o irmão de Taís (Débora Nascimento) finalmente consegue enxergar o lado de fora e se emociona. “O mundo lá fora tá perto! Muito perto! Quem diria, meu caro Duque, que íamos fazer essa obra de arte”, vibra o rapaz.

Chega o dia da fuga e o estelionatário se preocupa em levar roupas e mantimentos, mas Cassiano é contra. “Nós vamos assim como estamos. E se precisamos de alguma coisa, essa coisa se chama sorte! Portanto reza, meu amigo”, dispara o piloto.

Os dois se abraçam e começam a escalar. Duque vai na frente e o galã logo atrás. Não demora muito para os amigos se sentirem cansaço, tornando a subida cada vez mais lenta. Próximo do topo, o falsário faz uma pausa. “Tá muito alto”, dirá ele. “Não olha pra baixo. Respira fundo”, aconselha o rival de Alberto. “Eu não posso mais. Pra mim, acabou aqui”, lamenta Duque.

No entanto, Cassiano se nega a deixar o amigo de cela ára trás e começa a incentivá-lo. "Deixa de bobagem. Nós vamos chegar lá em cima! Nem que eu tenha que te carregar nas costas!”, promete o oficial.

Enquanto isso, um dos capangas de Dom Rafael descobre que os prisioneiros não estão mais na cela e revela para o mafioso. Irado, o traficante coloca seus homens para cercarem o local.

“Mais dois pinos e viva a liberdade!”, fala Cassiano sem saber o que lhe espera do lado de fora. “Vai Duque, agarra a beira do buraco e puxa o corpo”, sinaliza o piloto. “Avisa pro meu braço. Tá tremendo”, brinca o estelionatário.

O rapaz dá um empurrão no amigo que chega ao topo, mas se segura na parede. Então, o irmão de Taís passa por Duque e o segura pelo braço. Porém, o piloto percebe a presença dos capangas de Dom Rafael e recua.

“Eles tão atirando!”, reage o estelionatário. “Pensava o quê? Que iam mandar flores? Dá a outra mão!”, rebate Cassiano. Finalmente, os dois conseguem sair e desaparecem da vista dos bandidos.

Enquanto recupera o fôlego, o piloto de caça sinaliza ao amigo que eles precisam arrumar um jeito de saírem dali o mais breve possível. “De avião?”, indaga o estelionatário. “Acha que tá falando com quem? Um ferreiro? Padeiro? Sou piloto. Pra isso economizei combustível na última viagem com Dom Rafael”, avisa o oficial da aeronáutica.

Em seguida, o noivo de Ester pega o mapa e explica que os dois precisam atravessar a floresta. “Ah... só! E se tiver cobra?”, questiona Duque com ar de deboche.

Cassiano não lhe dá ouvidos e os dois continuam a andar. Depois de um tempo, ele finalmente chegam até a aeronave. Quando se prepara, para decolar, são surpreendidos pela chegada dos capangas de Dom Rafael.

“Oh, oh... Vamos ser fuzilados”, prevê o amigo do piloto. “Se acontecer alguma coisa, você foi o melhor amigo que tive, Alteza”, confessa Cassiano. “Não, você não vai...”, reage Duque.

O noivo de Ester acelera o avião e decola, mas os bandidos atiram e acaba acertando o tanque de combustível. “Então vamos descer!”, implora o estelionatário. “Quanto a isso não tenha dúvidas! É pro chão que nós vamos mesmo, só que em grande estilo! Se segura, Alteza, porque vamos cair!”, grita o piloto. A cena vai ao ar em breve na novela das seis.

Cristal ajuda Cassiano a voltar para o Brasil

Flor do Caribe: Cristal trai o pai e embarca Cassiano para o Brasil

Cassiano e Duque conseguem escapar ds prisão de segurança máxima por um túnel que eles mesmo construíram e, depois de atravessarem a floresta, chegam até o avião. Como parte do seu plano, o piloto deixou o tanque com algum combustível depois da última viagem que fez com Dom Rafael. Entretanto, quando estiverem levantando voo, os capangas do mafioso atiram e acertam o tanque da aeronave.

Enquanto Cassiano luta para posar, Duque começa a rezar. "Senhor Deus, como vai, tudo bem? Sei que nunca conversamos, mas eu me chamo Duque ou outros milhares de nomes, muito prazer. O prazer é todo meu, Deus. Deus, sabe o que é? Eu não gostaria de morrer agora...”, fala alto.

Na sequência, o oficial revela que o combustível foi todo embora. “Não pode ser! Já pedi perdão dos meus pecados”, expressa o estelionatário. “Devia ter pedido gasolina!”, debocha o galã.

Por sorte, o noivo de Ester avista um pasto e consegue posar. Passado o susto. ele pega novamente o mapa e tenta identificar qual direção eles devem pegar. “Agora é a gente descobrir pra que lado fica o mar”, indaga jovem.

“Pra lá, depois do pântano!”, aponta Duque. Ao ouvir do brasileiro que eles devem seguir para lá, o falsário recusa. “Nem pensar! Aquele pântano é morte certa, fim de linha!...", afirma o falsário.

"Presta atenção, brasileiro! Ninguém, até hoje ninguém conseguiu sair vivo daquele pântano!”, alega o ladrão. “Então vamos ser os primeiros! Anda!”, diz Cassiano todo animado.

No meio do caminho, o galã colhe uma flor e pensa em Ester. “É pra ela quando eu chegar lá, Duque... É pra minha Ester esta flor que só dá aqui: a flor do Caribe...”, suspira o loiro.

A aventura só termina quando eles conhecerem Amaralina (Sthefany Brito), uma jovem que percorre o mundo em busca do seu avô, único parente que ainda lhe resta na família.

Sem imaginar que Duque é a pessoa que procura, ela levará a dupla até a boate onde Cristal se apresenta. Apaixonado pelo piloto, a filha de Dom Rafael trai o pai e manda o amado de volta para o Brasil.

"Acho que posso ajudar. O pessoal da Marinha Mercante frequenta o bar, assiste aos meus shows. Tenho bons amigos entre eles!", alega a moça. Na manhã seguinte, ela diz que há um navio indo para o Brasil e que ficará atracado no Caribe por algumas horas.

Animado, Cassiano liga para o pai e conta que está voltando para Vila dos Ventos. "Esperei tanto esse dia!", vibra o piloto enquanto pensa em ter Ester de volta aos seus braços. A cena vai ao ar nos próximos capítulos da reprise de Flor do Caribe.


Fique por dentro dos próximos capítulos de Flor do Caribe e outras produções acessando o canal de Novelas do NaTelinha.

Quer saber mais? Confira o resumo semanal da novela Flor do Caribe de 07/09/2020 a 12/09/2020.   

 
Mais Notícias