Mais revelações

Êta Mundo Bom: Candinho fica frente a frente com pai

Protagonista conhecerá seu pai verdadeiro e ficará surpreso

Êta Mundo Bom: Candinho fica frente a frente com pai
Em Êta Mundo Bom, Candinho encontrará o pai - Foto: Divulgação

Publicado em 23/06/2020 às 16:30:06

Por: Daniel César

A vida de Candinho (Sérgio Guizé) parece que vai mesmo mudar em Êta Mundo Bom. Pouco depois de conhecer a mãe e descobrir que trata-se de Anastácia (Eliane Giardini) o caipira e novo milionário da praça ficará frente a frente com seu pai. Trata-se de Ernani, personagem vivido por Leopoldo Pacheco na novela de Walcyr Carrasco e que decidirá procurar o filho.

Tudo acontecerá mais adiante, quando ele já estiver convivendo com a nova família e adaptado às mudanças. Candinho estará na praça onde continuará vendendo sua pipoca, quando será procurado por um homem misterioso que começará a fazer muitas perguntas e diante das dúvidas do caipira, ele sacramentará que é pai legítimo, o deixando assustado.

"Ara. O coração deu quase saiu pela boca. Eu penso que não ouvi direito não. Ocê disse pai?", questionará o caipira pouco antes de ouvir a explicação de Ernani para a história. "Eusou seu pai, Candinho. Vim procurá-lo porque sabia que estava aqui na praça, a vender pipoca. Sou seu pai. Só de vê-lo, pela primeira vez, sinto uma enorme alegria. Você nem sabe quanta", dirá o homem.

No entanto, o caipira terá sido alertado por Pirulito (JP Rufino) de que não pode aparecer assim um pai do nada. Com medo de estar sendo vítima de alguma armação, Candinho alertará a polícia, que chegará para prender o homem. Diante das autoridades, o homem tentará se explicar, mas não adiantará. "Num tem ixpricação. Eu num tenho pai, e o cê diz que é pai deu. É gorpi", cravará.

Êta Mundo Bom: o pai de Candinho

A confusão será tanta que o homem vai parar na cadeia, mas conseguirá explicar tudo e sairá do local. Mal se resolverá com a justiça e irá procurar Pancrácio (Marco Nanini), insistindo que é pai legítimo de Candinho. Embora não acredite no início, finalmente o filho de Anastácia acreditará na história.

"Discurpa a vergonha qui eu passei. Botei ocê nas mãos da pulícia. Oviu Pirulito? Fez eu brigar com o pai à toa", chamará a atenção do menino, que tentará se explicar dizendo que não teve culpa e apneas quis ajudar.





LEIA TAMBÉM

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!