Reestreia hoje

"Cordel Encantado" foi o conto de fadas na carreira de Bianca Bin

Novela está de volta nesta segunda-feira (14) no "Vale a Pena Ver de Novo"


Bianca Bin em Cordel Encantado
Divulgação/TV Globo

Nascida em 03 de setembro de 1990, em Jundiaí (SP), provavelmente Bianca Bin não transmitia a sensação de que seria uma atriz, principalmente uma das mais respeitadas da sua geração. Quase três décadas se passaram e a artista hoje faz parte da prateleira das profissionais mais requisitadas da Globo.

Seu primeiro trabalho na TV foi em “Malhação” (2009), onde deu vida à mocinha Marina. Seu desempenho chamou atenção da diretora Denise Saraceni e a atriz conquistou uma vaga no elenco fixo de “Passione” (2010), última novela escrita por Silvio de Abreu no horário das 21h.

Ao interpretar Fátima, Bin se credenciou a substituir Paolla Oliveira em “Cordel Encantado”, trama que começa a ser reprisada nesta segunda-feira (14), no "Vale a Pena Ver de Novo". O fato de ter a chance de interpretar a mocinha da novela levantou desconfianças por parte da imprensa, pois o nível de responsabilidade era alto para uma profissional com tão pouco tempo de carreira.

O sucesso chegou com Açucena e Bianca recebeu críticas positivas tanto nos bastidores da emissora quanto do público. Ali iniciou a ascensão da artista, conquistando diversos papéis de destaque.

\"Cordel Encantado\" foi o conto de fadas na carreira de Bianca Bin

Mesmo a personagem sendo considerada passiva, a entrega da profissional emocionou o público e fez com que os fãs da novela torcessem pelo casal de mocinhos, Açucena e Jesuíno (Cauã Reymond).

A desconfiança criada no início da produção foi encerrada logo nos primeiros capítulos. Na época, o sotaque na medida e a interpretação segura de Bianca Bin, fizeram com que a crítica especializada esquecesse qualquer tipo de problema.

“A palavra comprometimento é boa para simbolizar o que eu aprendi. Foi um trabalho que exigiu muito de mim, que me dediquei por inteiro. 'Cordel' faz parte da minha história, eu estou muito feliz e realizada”, afirmou a atriz. no site da produção em 2011.

Seu desempenho a levou a voos maiores, ganhando o status de estrela e sendo disputada por diretores e autores para fazer parte de produções na casa.

Vilãs de Bianca Bin

Em “Guerra dos Sexos” (2012), por exemplo, ela interpretou Carolina, a principal vilã. Mesmo longe do núcleo central, ficou responsável pelas maldades contra diversos personagens. No seu primeiro papel como malvada, a atriz foi novamente elogiada pelo alto nível de atuação, apesar do fracasso da trama.

Requisitada por diversos autores, Bianca foi má em “Boogie Oogie” (2014). Apesar da produção ser responsável pela pior média geral do horário das seis com 17 pontos, a profissional ganhou mais elogios dos especialistas. “'Boogie Oogie' oferece boas chances e Bianca Bin aproveita”, escreveu Patrícia Kogut em seu blog durante a exibição da novela.

Trabalho com Amora Mautner e as autoras de “Cordel Encantado”

Em 2013, ela voltou a trabalhar com Amora Mautner, Duca Rachid e Thelma Guedes. Bin ganhou o papel de mocinha em “Joia Rara” (2013), produção vencedora do Emmy Internacional em 2014 na categoria “Melhor Telenovela”.

“A Bianca foi a coisa mais incrível. Não pelo talento, mas pela idade dela pensamos que ela não cabia no papel que era muito nova. Mas, Amora (Mautner, diretora da produção) queria ela e disse ia provar que ela seria perfeita para viver a Amélia. Quando a gente viu o teste da Bianca, não teve para mais ninguém. Era a Amélia que a gente pensou”, revelou Thelma em entrevista ao site Famosidades.

Parceria com Walcyr Carrasco

Jorge Fernando e Walcyr Carrasco convidaram Bianca Bin para atuar em “Etâ Mundo Bom!” (2016). A atriz iniciou como coadjuvante, mas a sua atuação, aliado a falta de carisma do casal protagonista junto ao público, apontada na ocasião, fez com que sua personagem recebesse espaço de protagonista da metade para o fim da trama.

Encantado com o talento de Bianca, Walcyr ofereceu a primeira protagonista do horário das nove para a artista em “O Outro Lado do Paraíso” (2017). Madura e querida pela crítica, conseguiu ser bem-sucedida no papel, conquistando o carinho dos telespectadores e sendo indicada em três prêmios, um deles nos “Melhores do Ano” do Faustão, na categoria “Melhor Atriz”.

Mais Notícias