Reportar erro
Exclusivo

Sinopse reprovada, aposentadoria e fuga: a crise na Globo para escalar autores na faixa das 21h

Manoel Carlos
Manoel Carlos estaria aposentado das novelas - Fotos: Divulgação/TV Globo
Sandro Nascimento

Publicado em 26/10/2018 às 06:00:04

O cronograma de novelas da Globo para a faixa das 21h atravessa uma fase de indefinições pouco comum na história da emissora. A explicação seria a ausência de autores veteranos para assinar uma nova produção.

Oficialmente, por enquanto, estão escalados na fila de escritores para o horário de maior audiência e faturamento da TV: Aguinaldo Silva, que estreia "O Sétimo Guardião" no dia 12 novembro; Walcyr Carrasco no primeiro semestre de 2019; e Manuela Dias com "Troia". Depois disso, não está definido nenhuma outra produção para a faixa.

O NaTelinha apurou que existem algumas opções sendo discutidas no setor de teledramaturgia da Globo, como promover um autor de outro horário, recorrer a um remake ou apostar em projetos derivados da Casa de Roteiristas liderada por Glória Perez. Algumas sinopses já estão sendo avaliadas.

Entre uma conversa e outra, os nomes de Daniel Ortiz e Ricardo Linhares vêm constantemente sendo mencionados. 

Sinopse reprovada, aposentadoria e fuga: a crise na Globo para escalar autores na faixa das 21h

A ausência de uma definição em torno da ordem de seus folhetins para o horário nobre não é algo recorrente na Globo. Usualmente, seu cronograma girava em torno de dois anos. Nos bastidores da emissora, essa nova realidade é vista com uma consequência da escassez de autores veteranos. Uma situação inédita na história da Globo.

Nos últimos dez anos, a faixa das 21h sempre foi alternada por novelas escritas por João Emanuel Carneiro, Benedito Ruy Barbosa, Silvio de Abreu, Aguinaldo Silva, Walcyr Carrasco, Gilberto Braga, Manuel Carlos e Glória Perez.  

Os últimos escritores que quebraram essa tradição foram Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari com "A  Lei do Amor", produção de 2016. Em entrevista à série "Donos da História", do canal Viva, Adelaide  descartou retornar ao horário nobre e justificou a decisão pela responsabilidade.

Sinopse reprovada, aposentadoria e fuga: a crise na Globo para escalar autores na faixa das 21h

"Às vezes é insuportável. Muito difícil você escrever e ter respostas diferentes em praças diferentes. A novela pode ir bem no Brasil inteiro, mas se ela ratear em São Paulo, nada está bem. Eu não quero ser uma autora de novelas das nove, eu quero ser feliz. Eu não quero esse patamar, eu prefiro me divertir. A essa altura da minha vida, eu não tenho que provar mais nada pra ninguém", disse a escritora.

A crise de autores veteranos para o horário carro-chefe da grade da Globo é explicado com alguns fatores.

Por dificuldades pessoais, Manoel Carlos não estaria mais disposto a enfrentar a rotina árdua de escrever uma novela por seis a sete meses. Já Gilberto Braga entregou uma sinopse para a faixa das 23h, enquanto Glória Perez foi promovida para auxiliar Silvio de Abreu na diretoria de dramaturgia da emissora e a sinopse entregue por Benedito Ruy Barbosa, "O Último Beijo", foi reprovada, levando o autor a supervisionar o folhetim das 18h, "O Arroz de Palma", previsto para estrear no segundo semestre de 2019 e escrito pelo seu neto Bruno Luperi e sua filha Edmara Barbosa.

Sinopse reprovada, aposentadoria e fuga: a crise na Globo para escalar autores na faixa das 21h

Neste cenário, sobraram apenas como opção Aguinaldo Silva, Walcyr Carrasco e João Emanuel Carneiro.  

Troia

Programada para ser exibida no segundo semestre de 2019, "Troia", embora a Globo negue, a reportagem apurou que existe a possibilidade da trama ser deslocada para as 23h, no formato de supersérie. Tudo vai depender da avaliação feita pela alta cúpula da emissora após receber os primeiros blocos de capítulos, que estão sendo reescritos a pedido da direção.

Manuela Dias tem o prazo para entregar a nova versão da sua novela até o início de 2019.

Conforme o NaTelinha adiantou, "Troia" estava para estrear substituindo "O Sétimo Guardião" no começo do próximo ano, mas a trama foi adiada depois que o setor de dramaturgia da Globo considerou o texto muito culto para a faixa que seria veiculada, com isso, para viabilizar sua produção, precisaria sofrer ajustes em seu desenvolvimento, como ter personagens mais populares, incluir alguns clichês e um texto mais coloquial.

Sinopse reprovada, aposentadoria e fuga: a crise na Globo para escalar autores na faixa das 21h

Em sua lugar, foi escalado Walcyr Carrasco, que vai assinar uma nova novela com apenas um ano de intervalo da sua última produção, "O Outro Lado do Paraíso".

Sobre o adiamento de "Troia", a Globo justifica como sendo uma decisão para dar descanso às atrizes Taís Araujo e Adriana Esteves, que são as protagonista e estariam emendando trabalhos.

Mais Notícias