Reportar erro
75ª edição

"Globo de Ouro" é marcado por discursos feministas, homenageia Oprah Winfrey e consagra "Big Little Lies"

oprahwinfrey-globodeouro2018_e51b3e3cecf9d1472f7d1f376ae5b394946630b5.jpeg
Fotos: Divulgação
Taty Bruzzi

Publicado em 08/01/2018 às 10:32:23

Na noite deste domingo (7), aconteceu em Los Angeles a 75ª edição do "Globo de Ouro", e como esperado a cerimônia foi marcada pela união das atrizes de Hollywood, que protestaram contra os inúmeros abusos sexuais que abalaram a indústria cinematográfica em 2017.

O movimento iniciado pela veterana Meryl Streep sugeria que todas as mulheres presentes na festa se vestissem de preto e a maioria delas aderiu, formando um círculo de indignação e apoio às vítimas dos poderosos do cinema e da TV.

Em uma noite que teríamos Oprah Winfrey como homenageada, as mulheres brilharam como nunca. Logo nas primeiras premiações, Nicole Kidman competiu com sua colega de elenco Reese Witerspoon pela estatueta de melhor atriz em minissérie ou filme para TV por “Big Little Lies” e acabou levando a melhor.

Repetindo o que já havíamos visto na última edição do Emmy, a série produzida pela atriz australiana saiu-se consagrada, faturando, também, os prêmios de melhor minissérie ou filme para TV, melhor ator coadjuvante para Alexander Skarsgard e melhor atriz coadjuvante para Laura Dern.

\"Globo de Ouro\" é marcado por discursos feministas, homenageia Oprah Winfrey e consagra \"Big Little Lies\"

Quem também teve destaque foi “The Handmaid’s Tale”, que venceu o prêmio de melhor série dramática e, ainda, presenteou Elizabeth Moss como melhor atriz de série dramática.

Em um dos momentos mais marcantes da noite, a apresentadora Oprah Winfrey recebeu o prêmio Cecil B. DeMille pelo conjunto da obra, o mesmo dado à Meryl Streep no ano passado.

Assim como a colega, que na ocasião discursou contra as atitudes extremistas do atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a apresentadora também fez um discurso político, só que destacando a força das mulheres e repudiando o racismo e o assédio sexual.

Durante os agradecimentos, Oprah lembrou que é a primeira mulher negra a ganhar o premio oferecido pela Associação da Imprensa Estrangeira em Hollywood (HFPA) e citou Sidney Poitier como inspiração, este que foi o primeiro ator negro a vencer o Oscar em 1963 por seu trabalho em “Uma Voz nas Sombras”.

“Eu entrevistei e interpretei pessoas que passaram por algumas das coisas mais feias que a vida pode jogar em você, mas a qualidade única que todas elas parecem compartilhar é a habilidade de manter a esperança por uma manhã mais brilhante, mesmo durante nossas noites mais escuras”, disse.

\"Globo de Ouro\" é marcado por discursos feministas, homenageia Oprah Winfrey e consagra \"Big Little Lies\"

“Então, eu quero que todas as garotas assistindo aqui, agora, que saibam que um novo dia está no horizonte. E que quando este novo dia finalmente chegar, será por causa de muitas mulheres magníficas e alguns homens fenomenais, lutando duro para ter certeza de que elas se tornem as líderes que nos levem a um tempo em que ninguém jamais tenha de dizer ‘Eu Também’ novamente”, finalizou, relembrando o slogan da campanha contra assédio.

Confira todos os vencedores:

Cinema

- Melhor filme dramático: “Três Anúncios para um Crime”
- Melhor filme cômico ou musical: “Lady Bird: É Hora de Voar”
- Melhor diretor: Guillermo Del Toro – “A Forma da Água”
- Melhor ator – drama: Gary Oldman – O Destino de uma Nação
- Melhor ator – comédia ou musical: James Franco – “O Artista do Desastre”
- Melhor atriz – drama: Frances McDormand – “Três Anúncios para um Crime”
- Melhor atriz – comédia ou musical: Saorsie Ronan – “Lady Bird: É Hora de Voar”
- Melhor ator coadjuvante: Sam Rockwell – “Três Anúncios para um Crime”
- Melhor atriz coadjuvante: Alisson Jenney – “Eu, Tonya”
- Melhor roteiro: “Três Anúncios para um Crime”
- Melhor trilha sonora: “A Forma da Água”
- Melhor canção original: “This is Me – O Rei do Show”
- Melhor animação: “Viva: A Vida É uma Festa”
- Melhor filme estrangeiro: “Em Pedaços” (Alemanha/França)

Televisão

- Melhor série dramática: “The Handmaid’s Tale”
- Melhor série cômica: “The Marvelous Mrs. Maisel”
- Melhor minissérie ou filme para TV: “Big Little Lies”
- Ator em série dramática: Sterling K. Brown – “This is Us”
- Ator em série cômica: Aziz Ansari – “Master of None”
- Atriz em série dramática: Elisabeth Moss – “The Handmaid’s Tale”
- Atriz em série cômica ou musical: Rachel Brosnahan – “The Marvelous Mrs. Maisel”
- Ator em minissérie ou filme para TV: Ewan McGregor – “Fargo”
- Atriz em minissérie ou filme para TV: Nicole Kidman – “Big Little Lies”
- Ator coadjuvante em TV: Alexander Skarsgard – “Big Little Lies”
- Atriz coadjuvante em TV: Laura Dern – “Big Little Lies”

Mais Notícias