Reportar erro
A Força do Querer

Glória Perez fala sobre transgêneros em novela: "As pessoas têm dificuldade de entender"

Ela relembra que tentou abordar tema na década de 80, mas Boni barrou

aforcadoquerergloria_2cfc875be49a64112d9f1d3ecd063c2469e83417.jpeg
Divulgação
Redação NT

Publicado em 28/08/2017 às 14:20:32

Em alta na Globo escrevendo "A Força do Querer", Glória Perez superou com certa facilidade sua última trama, "Salve Jorge", que estreiou há cinco anos.

À Revista Veja, ela concedeu uma entrevista para falar sobre a trama, incluindo o tema dos transgêneros. Na história, Carol Duarte vive Ivana, ou agora, Ivan, que descobre ser trans.

"É um tema do momento que as pessoas têm dificuldade de entender. Quando você faz novela, reflete sobre o assunto com o público. O curioso é que queria falar dos trans nos anos 80", relembra.

Glória recorda que leu um livror de uma professora chamada Joana que contava como eram as operações, e passou a ter barba, passando também a se chamar João. A autora diz que escreveu um projeto de uma minissérie foi levar à Boni, ex-todo poderoso da emissora. "Glória, você tem cada coisa", disse ele na época. "Nunca mais se falou no assunto", disse Glória, que conclui que ele estava certo: "Ninguém iria entender".

Questionada sobre suas tramas serem fantasiosas para alguns, ela comenta: "Minhas novelas anteciparam tendências tão à frente do tempo que as pessoas custavam a crer. Quando fiz Barriga de Aluguel (1990), fui tachada de fantasiosa. Em América(2005), quis mostrar os brasileiros que tentam entrar nos Estados Unidos pelo deserto. E fui falar com essa gente. Tenho um olhar de historiadora e jornalista. Mas as pessoas ainda assim achavam fantasioso".

"As pessoas riam (de 'América') mas aquelas coisas eram reais. Por exemplo: ela ser pega tentando entrar nos Estados Unidos no porta-luvas de um carro. Eu me inspirei numa foto que a embaixada americana que deu. Agora, não me pergunte como botaram a moça ali dentro e fizeram o carro andar", disse.

Para a autora, há muitas mulheres como Bibi Perigosa, vivida por Juliana Paes: "Tanto que existem essas organizações, Mulheres Que Amam Demais. Há homens assim também".

Sobre Isis Valverde viver uma sereia, ela relata: "É uma profissão que me encanta. As sereias ganham fortunas nos Estados Unidos. Veja, o mundo está mudando, novas profissões e novas maneiras de se expressar estão surgindo".