Notícias

"Fala que eu te escuto" volta a atacar Globo por conta de enquete polêmica

Programa da Igreja Universal debateu repercussão do "Encontro com Fátima Bernardes"


falaqueeuteescuto-enquete-encontro-globo-24112016 (2).jpg
Reprodução

A Igreja Universal do Reino de Deus mais uma vez utilizou o programa "Fala que eu te escuto", exibido nas madrugadas da Record, para atacar a Globo, assim como fez na eleição de Marcello Crivella para prefeito do Rio de Janeiro.

Na edição desta quinta para sexta-feira (25), a atração usou a grande polêmica gerada pela enquete do "Encontro com Fátima Bernardes", na semana passada, para perguntar se a emissora carioca foi tendenciosa.

A questão era: "'Salvar um traficante em estado grave ou um policial levemente ferido?': a Globo foi equivocada ou tendenciosa?", justamente para provocar a Globo.

Para endossar o seu discurso, foram convidados duas pessoas que já tinha criticado a enquete antes: Major Olímpio, perdedor na candidatura para prefeitura de São Paulo e deputado federal, e o também deputado Jair Bolsonaro.

Ambos reforçaram os ataques e disseram que a Globo não respeitou policiais. "Eles sempre defenderam quem estava errado, apoiam quem não devem, como os gays, que fazem essa safadeza na TV", disse Major Olímpio.

A audiência não subiu com as provocações: o "Fala que eu te escuto" fechou com média de 2 pontos na Grande São Paulo, seus dados habituais.

Entenda o caso

Na última quinta-feira (17), o "Encontro com Fátima Bernardes" perguntou para o telespectador quem um médico deveria atender primeiro: um policial com ferimentos leves ou um traficante em estado grave.
 
Durante o fim de semana, a tag #euescolhisalvaropolicial ganhou as redes sociais, e várias pessoas criticaram Fátima, o seu programa e a própria Globo, acusando-os de defender bandidos.

Na terça (22), Fátima Bernardes explicou a enquete feita, juntamente com um PM do Rio de Janeiro convidado. Ela negou qualquer tipo de apologia à criminalidade, e sim que a questão devia discutir a ética médica.