Há 20 anos, Gugu alcançava 47 pontos com a morte dos Mamonas Assassinas

"Memórias da Telinha" relembra o trágico dia 2 de março de 1996

Gugu com o vocalista Dinho em 1995 - Reprodução

Publicado em 02/03/2016 às 15:05:00

Por: Thiago Forato

Dia 2 de março de 1996. Gugu Liberato faria o "Domingo Legal" de maior audiência da história do programa e uma das maiores do SBT com a trágica cobertura da morte dos integrantes da banda Mamonas Assassinas, que teve um sucesso meteórico.
 
Na oportunidade, Gugu caminhava para aquele que seria seu auge no SBT. Um contrato milionário, dividindo os domingos com Silvio Santos e batendo a Globo no Ibope semana após semana, apostando em entrenimento e quadros como o "Táxi do Gugu" e "Banheira", além de mesclar informações.
 
Informações essas que passaram a ser de maior valia naquele ano de 1996. Muitos jornalistas passaram a chamar o "Domingo Legal" da época de "CNN do Gugu", tamanho investimento que era feito em reportagens jornalísticas. O intuito, claro, era bater a Globo.
 
Para Gugu, uma coisa estava clara: apenas a Globo dava informação no domingo. E no domingo à noite. Por conta disso, passou a apostar ainda mais forte nesse filão e o retorno foi imediato, sobretudo com a morte da banda Mamonas Assassinas há exatos 20 anos.
 
 
 
Ao contrário do dia da morte de Ayrton Senna em 1994, Gugu pediu para que Silvio Santos ficasse tranquilo, conforme relatou em entrevista à Folha de S. Paulo da época, e que ele trataria sobre a morte dos integrantes da banda durante toda a atração em seu dominical.
 
Gugu conta que recebeu a notícia às 7h30, tirou todos os diretores da cama e pediu para que eles fossem ao SBT e levantassem todo o material, e perguntou pelo helicótero da emissora. Estava no Rio de Janeiro. Houve todo um deslocamento para que as coisas pudessem fluir.
 
 
O loiro avisou ao Silvio que a partir das 11h queria entrar com flashes ao vivo para informar o público sobre a morte dos Mamonas, e de fato, conseguiu o que queria. Gugu se orgulha de que naquele fatídico dia 2 de março de 1996, seu "Domingo Legal" foi a única fonte de informações não só ao público, mas também a uma série de veículos da imprensa. 
 
Apresentado das 12h10 às 15h30, o "Domingo Legal" marcou impressionantes 37 pontos de média com assustadores 47 de pico. No mesmo horário, pasmem, a Globo ficou somente com 13 de audiência. Naquele período, Gugu geralmente obtinha uma média de 18 pontos. Cada ponto equivalia a 100 mil telespectadores na Grande São Paulo. 
 
O programa de auditório de Gugu era o único que fazia uma interessante mescla de entretenimento e jornalismo.
 
Naquele domingo, o apresentador conversou com Maurício Bezerra, produtor dos Mamonas, que ficou marcado por tratar dos integrantes como se eles não houvessem morrido, sempre utilizando o tempo presente para se referir à eles.
 
Famosa vidente
 
Quem se lembra da Mãe Dinah (falecida em maio de 2014)? Grande parte de sua fama se deve a previsão da morte dos integrantes da banda Mamonas Assassinas feita em dezembro de 1995. Ela foi citada no programa de Gugu, o que enfureceu o pai de Dinho, que disse não acreditar nessas coisas. "Sou evangélico, pertenço à Assembléia de Deus", bradava.
 
 
A partir desse dia, Gugu, formado em jornalismo, passou a fazer ainda mais uso dele, tendo um período considerado de ouro, que compreendeu anos de 1996 até 2002, onde a disputa com a Globo era extremamente acirrada.
 
Em 2001, por exemplo, seu melhor ano, disputou 52 vezes com Faustão, perdendo apenas duas, empatando outras quatro e vencendo 48 desses confrontos. 
 
Dia 2 de março de 1996 também foi o domingo de maior audiência da história do "Domingo Legal" até hoje.
 


COMENTÁRIOS