SC: Jornalista da RIC Record divulga venda do Grupo RBS; empresa nega

Divulgação

Publicado em 05/02/2016 às 14:11:24

Por: Redação NT

A manhã desta sexta-feira (05) foi marcada por insegurança e indefinição no mercado da comunicação de Santa Catarina.
 
O motivo foi o boato de venda das operações catarinenses do Grupo RBS, maior grupo de comunicação do Sul do Brasil e detentor de marcas como a RBS TV, afiliada da Globo no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, e de diversas rádios, jornais e portais. 
 
A informação ganhou força quando foi divulgada pelo jornalista Paulo Alceu, que trabalhou no Grupo RBS durante 11 anos e que há 12 está no Grupo RIC, da concorrente Record. Ele é âncora do "RIC Notícias" e possui uma coluna no jornal Notícias do Dia.
 
 
 
 
Alceu afirmou que as operações da RBS haviam sido vendidas para o empresário e político Lírio Parissoto e que mais informações seriam postadas na sequência - algo que não ocorreu (e posteriormente, o próprio tweet foi apagado).
 
Gaúcho, Parisotto é dono de uma das maiores fortunas do Brasil e há anos figura na revista Forbes como integrante na listagem dos mil homens mais ricos do mundo. Ele possui negócios em SC, como uma participação minoritária na Celesc, companhia de comercialização e distribuição de energia em Santa Catarina.
 
O Grupo RBS, em nota aos seus colaboradores, negou a venda e classificou a informação como um mero boato. “O Grupo RBS informa que não vendeu suas operações de rádio, televisão e jornal em Santa Catarina, onde segue operando normalmente. Como é de conhecimento público, tais especulações já circulam no mercado há algum tempo. Em decorrência da liderança de seus negócios, a empresa constantemente é procurada para associações”. 
 
Vale lembrar que, de fato, não é a primeira vez que o Grupo RBS tem sua venda cogitada - embora esta tenha sido a primeira em anos que a fonte tenha o porte do jornalista Paulo Alceu, então um dos nomes de maior credibilidade do jornalismo catarinense.
 
Em outubro do ano passado, o jornalista Farid Germano Filho, ex-Grupo RBS, com passagens também pela Band e Record e atualmente na TVE, afirmou que a RBS teria sido vendida em 50% para a Rede Globo, 25% para o apresentador Luciano Huck e os 25% restantes continuariam com a família Sirotsky. Assim como este, o boato também foi negado.
 


TAGS:

COMENTÁRIOS