Sem contrato com a Record, Cristianne Fridman sonha em voltar à Globo

Divulgação

Publicado em 14/07/2015 às 17:21:35

Por: João Gabriel Batista

Encerrando neste mês seu ciclo na Record, onde trabalhou durante os últimos 10 anos e emplacou grandes sucessos como "Chamas da Vida" e "Vidas em Jogo", Cristianne Fridman revelou seus planos em uma conversa exclusiva com o NaTelinha.

A autora, que está afastada das telinhas desde o fim de "Vitória", em março deste ano, se animou com a possibilidade da volta de "Chamas da Vida" - o que acabou não sendo concretizado. A classificação indicativa teria sido um dos fatores que inibiram a reapresentação e que levaram a casa a apostar em uma nova exibição de "Prova de Amor".

Questionada sobre seu futuro na TV, Fridman foi enfática: "Gostaria de retornar à Globo, onde iniciei a minha carreira, mas isso é um desejo - espero que se concretize".

O sonho da autora é bastante ambicioso, mas não chega a ser impossível. Até agora, mesmo com a saída de alguns autores da Record, como Lauro César Muniz, Tiago Santiago e Gisele Joras, nenhum deles conseguiu voltar ou emplacar um trabalho na Globo. A dificuldade é muito maior que a enfrentada por atores, como Gabriel Braga Nunes e Marcelo Serrado, que conseguiram voltar com certa facilidade, ou até mesmo com o diretor Vicente Barcellos, que trocou a Globo pela Record no passado e conseguiu retornar à emissora carioca há algum tempo.

Conta como ponto desfavorável à Cristianne o fato de a Globo ter diversos autores em seu casting - e a prioridade tem sido os que já são da casa -. Desde o fim dos anos 2000, o canal tem apostado em caras novas. O processo, inclusive, tem se intensificado nos últimos anos com os lançamentos de Daniel Ortiz, com "Alto Astral", Rui Vilhena, com "Boogie Oogie", e os já agendados de Manuela Dias, na série "Ligações Perigosas", e de Maurício Gyboski, com a novela rural "Trem Bom", que estreia no ano que vem.

Cristianne Fridman trabalhou durante alguns anos na Globo. Ela foi uma das colaboradoras de "Malhação", onde inclusive atuou com Tiago Santiago, que anos mais tarde veio a ser seu colega na Record. Os dois eram os principais nomes da dramaturgia da emissora de Edir Macedo.

O último trabalho da autora na rede carioca foi em "Coração de Estudante", de 2002. A trama foi de autoria de Emanuel Jacobina, mas teve o suporte de Carlos Lombardi - hoje na Record -, para alavancar seus índices.

Cristianne fez parte de uma série de desfalques promovidos pela Record. A emissora, sinalizando salários maiores e a possibilidade de assinar tramas solo, trouxe ela, Tiago Santiago e outros autores que estavam há algum tempo sem grandes chances na Globo, como Lauro e Marcílio Moraes.
 



COMENTÁRIOS