Reportar erro
Notícias

Tas critica piada de Cortez com "Orange is The New Black": "foi péssima"

Entrevista de Rafael ganhou repercussão negativa na internet por conta das perguntas consideradas "machistas"

marcelotas2906.jpg
Foto: Divulgação
Diego Falcão

Publicado em 29/06/2015 às 17:17:02

Em entrevista ao jornal Diário de S. Paulo desta segunda-feira (29), Marcelo Tas falou sobre a polêmica entrevista de Rafael Cortez com o elenco do seriado "Orange is The New Black".
 
Assim como fez com Rafinha Bastos, no caso da piada sobre Wanessa Camargo em 2011, o ex-apresentador do "CQC" não passou a 'mão na cabeça' de Cortez.
 
"O mundo está mais chato, mas não tem nenhum problema. Tem muito humorista chorão, 'ah, criticaram minha piada'. Aliás, essa do [Rafael] Cortez foi péssima. A gente precisa parar de querer passar a mão na cabeça dos humoristas. Quem é bom se garante e não se abala com a crítica. Essa molecada que fica chorando precisa crescer. A sociedade não critica político, médico, mecânico? Por que não pode criticar um vagabundo que fez piada errada? Fez piada preguiçosa e a gente tem que gostar?", disparou Tas.
 
Ao jornal, ele também declarou que desde que saiu do "CQC" não anda com tempo para acompanhar a atração da Band.

Atualmente, ele apresenta o "Papo de Segunda", no GNT.
 
 
Entenda a polêmica
 
A entrevista do "CQC" Rafael Cortez com as atrizes Uzo Aduba, Natasha Lyonne e Samira Wiley, da série americana "Orange is the New Black", da Netflix, ganhou repercussão negativa na internet por conta das perguntas consideradas "machistas".
 
Protagonistas de uma trama que conta a história de mulheres encarceradas, as atrizes foram questionadas sobre a suposta necessidade de um “homem de verdade na série para fazer coisas que mulheres não conseguiriam fazer na prisão".
 
Em um trecho, Cortez fala com Natasha e Samira. As perguntas também não agradaram as atrizes. “Trabalhar com mulheres bonitas como vocês, duas mulheres lindas. É difícil atuar principalmente ‘naqueles dias’"?, arriscou. “O que você quer dizer? Por causa da beleza?”, cortaram elas. “É, naqueles dias que vocês ficam mais bravas, mais furiosas…”, respondeu o comediante.
 
“Acho que existem alguns estereótipos do que mulheres fazem no set. Mas não acontece com a gente”, disse Samira Wiley. Lyonne ficou em silêncio por mais tempo para depois disparar: “É que eu não consigo nem responder. Acho que é uma pergunta acidentalmente misógina”, bradou.