Série japonesa

Cineasta vê Jaspion na Band para produzir filme sobre herói: "Ele será brasileiro"

Rodrigo Bernardo dirige longa-metragem estrelado por ícone dos anos 80

Cineasta vê Jaspion na Band para produzir filme sobre herói:
Jaspion, herói de série japonesa exibida pela Band

Publicado em 09/06/2020 às 04:30:00 ,
atualizado em 09/06/2020 às 12:45:28

Por: Paulo Pacheco

Herói símbolo dos anos 80, Jaspion voltou ao ar na Band após ter feito sucesso na extinta Manchete e virado boneco, disco e outras bugigangas colecionáveis. Mais de 30 anos depois, a série japonesa ganhará filme rodado no Brasil e dirigido por um fã, o cineasta Rodrigo Bernardo.

O coronavírus, porém, forçou a extensão do prazo para o lançamento do longa-metragem, que está na fase de elaboração de roteiro. Anunciado pela primeira vez em 2018 e divulgado com muita expectativa na CCXP (Comic Con Experience) em 2019, o filme do Jaspion deverá estrear apenas em 2022.

"Até o final do ano que vem é um prazo possível, para lançá-lo no primeiro trimestre de 2022. Nem considero um atraso. Queríamos ter o roteiro pronto para agosto e setembro, mas achamos dezembro melhor. Traduziremos todo o material para inglês e japonês para mandar para a Toei. Eles têm sido incríveis desde o começo", conta Bernardo em entrevista ao NaTelinha.

A Toei Company, produtora original de Jaspion, é parceira no projeto brasileiro, capitaneado por Nelson Sato, presidente da empresa de audiovisual Sato Company e sogro do cineasta (ele namora a atriz Jacqueline Sato). O executivo comprou Jaspion, Jiraiya e Changeman, três séries japonesas bem-sucedidas na TV brasileira e negociou a exibição com a Band.

A retomada na televisão entusiasmou Rodrigo Bernardo, que assiste à série para relembrar a infância, analisar a história e adaptá-la para o cinema: "A série é a matéria-prima do filme. Já vi para escrever o argumento, mas no domingo assisti pela diversão. Trabalho vendo Jaspion e passo a folga vendo Jaspion”.

Queremos muito que seja um programa para a família, tanto para o pai quanto para o filho que assiste hoje na Band.

Rodrigo Bernardo, cineasta


O executivo Nelson Sato e o cineasta Rodrigo Bernardo (Foto: Reprodução/iEmmys)

Jaspion brasileiro

Rodrigo Bernardo conquistou a confiança de Nelson Sato e da Toei pelo currículo recheado. Membro da Academia Internacional do Emmy, ele dirigiu a comédia romântica Talvez Uma História de Amor (2018) e a série (Des)Encontros, exibida no canal Sony para a América Latina.

Segundo o cineasta, Nelson Sato está empolgado pelo projeto, mesmo com a crise econômica provocada pelo coronavírus, e deu carta branca para o genro criar uma história inédita do herói japonês. E é o que vai acontecer. No filme de Jaspion, ele será brasileiro.

"Eu garanto que ele é brasileiro, mas não tenho restrição a ser oriental. Temos tantas raças, etnias, somos tão diferentes e, ao mesmo tempo, únicos. Acho muito bacana ver o seu país representado. Nunca vimos um super-herói para valer em São Paulo. Tem que ter o bairro da Liberdade [de colônia japonesa]. Temos que passear pelos ícones da cidade. É mais um ponto para ser um programa de família", afirma.

"No fundo, também estou fazendo o filme para o Rodrigo de nove anos. Ou faço bem feito ou nem faço. Não vai ser 'mais ou menos'. Tudo bem demorar mais. Temos que fazer com muito capricho. Não somos o Batman, que faz vários reboots até acertar (risos)", finaliza.

TAGS:

publicidade




LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!