Reportar erro
Retrospectiva

Saiba quais foram os filmes que desapontaram nas bilheterias em 2017

listant_2c847ad6c2bdd0adf4188949bd5d00d8d7b86a12.jpeg
Divulgação
Taty Bruzzi

Publicado em 29/12/2017 às 13:12:12

Faltando poucos dias para o fim de 2017, é possível fazer retrospectivas com o que deu certo e o que não saiu como o esperado neste ano.

No cinema, destacamos sete filmes que eram grandes promessas para 2017, mas acabaram desapontando.

Confira!

“A Cura”

Do cineasta Gore Verbinsk, o filme acabou recebendo o título de pior do ano. Na trama, executivo é enviado para os Alpes Suíços a fim de resgatar o CEO de sua companhia que se encontra em um Centro de Cura. Chegando lá, ele descobre que o local não é tão inofensivo quanto parecia. Orçado em US$ 26, 5 milhões, os estúdios ainda tiveram que pagar US$ 40 milhões para que o projeto fosse viabilizado. Com apenas 42% de aprovação, não precisa ser um gênio da matemática para saber o prejuízo.

“A Torre Negra”

Baseado em livro homônimo de Stephen King, o filme de suspense não foi tão bem aceito quanto se imaginava. Estrelada por Matthew McConaughey e Idris Elba, a obra arrecadou em bilheterias somente US$ 11 milhões, valor considerado baixo para uma produção orçada em US$ 60 milhões. 

“A Vigilante do Amanhã”

Nem sempre ter Scarlett Johansson é sinônimo de sucesso. A atriz é uma das mais queridas de Hollywood, mas sua participação na versão cinematográfica da animação cibernética não deu muito certo. Apesar da expectativa em cima do seu lançamento, o filme acabou sendo esquecido pelo público e recebeu muitas críticas. Orçado em US$ 110 milhões, arrecadou apenas US$ 169,8 milhões. 

“Boneco de Neve”

O thriller de terror parecia que iria agradar, mas o sucesso de “It – A Coisa” nos cinemas este ano tirou todas as possibilidades dos demais filmes do gênero. Estrelado por Michael Fassbender, conta a história de um detetive que investiga crimes cometidos por um serial killer durante o inverno e que usa um boneco de neve como sua marca registrada. Sem a aprovação da platéia, a produção arrecadou míseros US$ 43 milhões.

“Blade Runner 2049”

Se nem sempre um remake é sinônimo de sucesso, imagina dar continuidade a uma história muitos anos depois. Foi o Ridley Scott tentou fazer ao produzir a continuação do clássico lançado em 1982, mas embora o filme tenha tido 87% de aprovação, rendeu apenas US$ 258 milhões em bilheterias, valor considerado baixo para uma obra deste porte. 

“Mãe!”

Nem toda publicidade em cima deste suspense foi capaz de livrar o filme de ser considerado um fiasco. Estrelado por Javier Bardem, Jennifer Lawrence e Michelle Pfeiffer, quem viu detestou ou não entendeu a trama do diretor Darren Aronofskye. E como a crítica também não ajudou, a produção que custou US$ 30 milhões arrecadou apenas US$ 45, 5 milhões. É ou não para cair no esquecimento?

“O Dia do Atentado”

Hollywood já devia ter percebido o quanto o publico está cansado deste tipo de filme. Embora a trama tenha sido recente – fala de um atentado em Boston durante a maratona de 2013 -, nem Mark Walhberg no papel de um agente do FBI foi capaz de atrair grande plateia. Com as salas de cinema vazias, a produção dirigida por Peter Berg arrecadou somente US$ 31, 8 milhões. 

 

“Rei Arthur: A Lenda da Espada”

Geralmente, histórias épicas fazem muito sucesso com o público. Entretanto, a experiência de Guy Ritchie em contar a história do Rei Arthur aprece uma exceção. A repercussão foi tão ruim que além de arrecadar apenas US$ 175 milhões, dos poucos espectadores que foram aos cinemas conferir a obra apenas 29% aprovou a versão atual.

 

Mais Notícias