Sucesso

Disney+ chega a 50 milhões de assinantes em menos de seis meses

Plataforma de streaming ainda não chegou no Brasil

Disney+ chega a 50 milhões de assinantes em menos de seis meses
Disney+ quer liderar o mundo dos streaming - Foto: Divulgação

Publicado em 13/04/2020 às 12:21:00

Por: Redação NT

Lançada em novembro de 2019, a Disney informou que sua plataforma de streaming tem cerca de 50 milhões de assinantes. O Disney+ ainda não está disponível para o público brasileiro, já que a previsão de chegar ao Brasil é no final deste ano.

Além de ter muitos clientes nos Estados Unidos, o catálogo da empresa tem ganhado muitos fãs no Reino Unido, Alemanha, Itália, Espanha, Áustria, França, Suíça, Irlanda e, mais recentemente, na Índia. No país asiático, em uma semana, o Disney+ conquistou oito milhões de assinantes, segundo o site americano Variety.

A Disney esperava chegar em 90 milhões de assinantes até o final de 2024, mas a expectativa que esse número seja superado até o final do ano que vem, quando estiver funcionando em quase todos os países.

No segundo semestre, além de chegar ao Brasil, o streaming também estará disponível aos japoneses, que sempre foram grandes consumidores dos filmes, animações e séries da produtora.

“Estamos muito orgulhosos de que o Disney+ esteja conseguindo se relacionar com as pessoas ao redor do mundo, e esperamos que essa expansão continue no segundo semestre na América Latina”, afirmou o presidente do departamento de distribuição de conteúdo internacional.

“Acreditamos que grandes histórias podem inspirar o público, e por conta de todas as propriedades disponíveis no nosso catálogo, queremos sempre entregar uma vasta experiência de entretenimento, otimismo e alegria”, acrescentou.

Coronavírus e a Disney

Em fevereiro, a Disney+ tinha 28 milhões de assinantes em todo planeta, mas esse número cresceu durante março. A empresa avalia que isso ocorreu por conta do consumo de entretenimento das famílias durante a quarentena do novo coronavírus.

O bom resultado da plataforma é um alívio temporário para a empresa que precisou fechar seus parques e não sabe quando poderá lançar seus próximos filmes. Na parte esportiva, a ESPN perdeu as transmissões ao vivo.




publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!