Provocação?

Internauta reclama de séries gays e Netflix responde: "Vou apoiar a comunidade LGBTQ+"

Plataforma usou redes sociais para defender a comunidade LGBTQ+ após ação de Bolsonaro

Internauta reclama de séries gays e Netflix responde:
Netflix defendeu os LGBTQ+ - Foto: Divulgação/Netflix

Publicado em 22/08/2019 às 10:55:00

Por: Redação NT

Após o presidente Jair Bolsonaro informar que barrou projetos de séries voltados ao público LGBTQ+, resultando no pedido de demissão do Secretário Nacional de Cultura, Henrique Pires, a Netflix saiu em defesa da comunicada na última quarta-feira (21), rebatendo provocação de internautas.

“Gente, deixei cair aqui uma lista de séries e filmes MA-RA-VI-LHO-SOS sobre LGBTQ+. Ah, sim, lembrando que só assiste quem quer, tá?”, escreveu o gigante de streaming no seu perfil oficial do Twitter. Claro que a postagem ganhou milhares de curtidas, compartilhamentos e menções.

“Foi exatamente por isso que eu cancelei a Netflix”, disse um internauta. “Lembre do adágio: ‘Quem lacra não lucra’ Quer que desenhe?”, falou outro seguidor. De forma educada, a empresa não abaixou a cabeça e respondeu sem fazer qualquer cerimônia em prol dos LGBTQ+.

“Tudo bem, mas eu nunca vou deixar de apoiar a comunidade LGBTQ+”, disparou. Esse tuíte também ganhou milhares de curtidas e os fãs foram à loucura com o posicionamento da empresa.

“Você é linda. Conte comigo pra tudo”, postou um usuário. “Netflix Brasil, eu te amo tanto, com tanta força, que você não tem noção”, declarou uma segunda. “Deixa só eu arrumar um emprego e prometo que voltarei a assinar a Netflix”, pronunciou uma terceira.

O perfil da plataforma informou que obras como “Queer Eye, Special”, “Laerte-se”, “Elisa y Marcela” e “Grace & Frankie” são destinadas ao público LGBTQ+. O que mais chamou atenção é que a postagem veio logo após a decisão publicada no Diário Oficial da União.

O Governo Federal suspendeu um edital para obras dedicadas a comunidade, que seriam veiculadas em TVs públicas. O presidente Jair Bolsonaro já se posicionou sobre assunto e garantiu que a ANCINE (Agência Nacional do Cinema) financiará projetos que não desrespeitem os cristãos.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!