Reportar erro
Caso gerou revolta

Luciano Huck dá moto a entregador vítima de racismo

Vídeo de motoboy alvo de ofensas viralizou nas redes sociais

Luciano Huck conversa com motoboy vítima de racismo
Luciano Huck conversa com motoboy vítima de racismo (Foto: Reprodução/Instagram/lucianohuck)
Paulo Pacheco

Publicado em 07/08/2020 às 17:00:00

Luciano Huck encontrou o motoboy vítima de racismo em vídeo que viralizou nas redes sociais nesta sexta-feira (7). Em seu Instagram, o apresentador da Globo conversou com o entregador e prometeu dar a ele uma moto zero quilômetro para ajudá-lo em seu trabalho.

"Essa semana estou trabalhando com a moto do meu pai porque a minha fundiu o motor”, disse o motoboy chamado Matheus Pires. "Vou dar um jeito de arrumar uma motoca zero para você, para dar uma força nesse momento e para fazer um carinho na família, tá?”, afirmou Huck, emocionando o rapaz.

"Uau, vou ficar feliz demais, fiquei até com vontade de chorar!”, falou o entregador. "A violência que você recebeu espero que a Justiça cuide disso. E a motoca que fundiu o motor, pode contar comigo. Fica com Deus”, respondeu o apresentador.

No vídeo, o cliente humilha o entregador exaltando sua riqueza material e proferindo ofensas racistas. “Você tem inveja disso aqui também”, falou o agressor, apontando para a cor branca da sua pele.

O motoboy rebate o cliente: “O senhor conseguiu isso por quê? Porque seu pai te deu ou porque trabalhou?”. O vídeo ultrapassou 7 milhões de acessos em poucas horas no Twitter. A Huck, o entregador conta o que havia acontecido antes da gravação.

"No vídeo não dá para ver, mas antes de acontecer ele cuspiu em mim, jogou a notinha do restaurante em mim, fazia assim no braço, 'olha, sou branco e você é preto, olha sua cor, você é motoboy’. Eu vi a oportunidade de mudar essa situação pelas quais os motoboys passam”, declarou.

Questionado pelo apresentador se havia acionado a polícia pelo crime que sofreu, Matheus Pires disse que registrou Boletim de Ocorrência contra o cliente.

"Na hora que ele me chamou de preto e favelado, eu olhei para ele e falei: ‘Você acabou de cometer um crime e eu vou chamar a polícia. Liguei para a PM, a gente foi levado para a delegacia, ele foi no carro dele e eu na minha moto. Ele me chamou de favelado na frente do delegado, tanto que está no Boletim de Ocorrência. Ele saiu pela mesma porta que saí”, disse.

Durante o vídeo, o cliente, que se chama Mateus Abreu, disse ter um nome bíblico. O entregador rebate com a mesma fala. Na conversa com Huck, ele afirmou que a fé o manteve sereno ante ao racismo que sofreu: "Minha religião, sou Testemunha de Jeová, me ajudou bastante a me manter calmo, porque isso iria desonrar a mim e ao meu Deus”.

TAGS:
Mais Notícias
Outros Famosos