Reportar erro
Exclusivo

Eri Johnson confirma insatisfação em Fina Estampa e reflete: "Deveria ter reclamado menos"

Ator falou de quarentena e deixou em aberto possível trabalho como apresentador

Eri Johnson
Eri Johnson fez balanço da carreira - Foto: Reprodução
Naian Lucas

Publicado em 11/06/2020 às 05:37:00

O ator Eri Johnson, no ar na reprise da novela Fina Estampa (2011) na Globo, avalia que seu personagem Gigante estava perdido na trama e que chegou a reclamar dessa situação na época. Ao NaTelinha, ele avalia que não é "reclamão", mas tem o perfil de sempre buscar mais espaço e oportunidades. "Mas humildemente falando, eu reconheço que deveria ter reclamado menos. Deveria ter feito tanta coisa diferente, mas a vida é assim", disse.

"Na verdade, o personagem tava muito perdido na praia, né? Sem função nenhuma. A galera na praia pra quem já vinha feito vários personagens bons e de destaques, inclusive na novela do Aguinaldo Silva em Duas Caras, que fiz o Zé da Feira, eu vou sempre querer mais”, explicou. “Minha reclamação foi de querer mais, sempre querer mais. Acho que o personagem poderia ter sido mais aproveitado ou eu, falando de forma humilde”, acrescentou Eri sobre o Gigante.

Ele também não aprovou a forma que seu papel foi tratado em outra novela de sucesso da Globo e pediu para que ganhasse um pouco mais de espaço. “Cheguei a reclamar na novela América (2005) que o personagem falava muito ‘Ui, ui’ e eu queria que desenvolvesse mais”, relembrou.

Só que o ator também reconhece que realizou grandes trabalhos e demonstra eterna gratidão pelo espaço que recebeu, principalmente em Barriga de Aluguel (1990), no qual elegeu Lulu seu personagem preferido. “É o personagem que me apresentou para o Brasil. Esse personagem eu sou muito grato a ele, grato a Glória Perez, ao Wolf Maya, porque foi nossa primeira parceria. E o Lulu me projetou muito para o Brasil, foi muito importante e jamais vou esquecer esse personagem”, comentou.

Eri Johnson também relembrou de outros papéis que foram fundamentais para sua carreira. “Mas vieram outros personagens marcantes também. O Zé da Feira foi muito marcante, o Giácomo Madureira, em Sonho Meu, foi muito bacana e muito marcante. Eu tive grandes personagens. Por que não dizer do Edivaldo, da novela Topíssima? Outros tantos que virão. Tomara, outros que virão se Deus quiser”, completou.

Parceria com Glória Perez e Wolf Maya

O ator já fez muitos trabalhos, mas sua parceria com Wolf Maya se tornou marcante. “Sou muito grato. Foi ele quem me lançou na televisão na novela Hipertensão. Wolf Maya me lançou e foi quem me deu uma oportunidade de interpretar o personagem Lulu, de Barriga de Aluguel, de Glória Perez”, relatou.

Glória Perez também foi tratada com muito carinho pelo ator: “Fazer novela com a Glória foi muito prazeroso, muito gostoso porque em determinados momentos parecia que eu já sabia o que viria nos próximos capítulos, nos próximos blocos”.

Trabalhos

O público acompanhou Eri na televisão no ano passado pela novela Topíssima, na Record, e agora pode assisti-lo em O Clone (2001), pelo Canal Viva, além de Fina Estampa na Globo. O artista reconhece que são três trabalhos diferentes e houve muita evolução ao longo do tempo no seu modo de atuar.

“Eu gosto muito de fazer novela, eu gosto muito de atuar no teatro e na televisão. São três trabalhos diferentes e a evolução depende muito dos personagens que nos dão para interpretá-los. Eu sempre penso que cada vez que pego um personagem novo, uma novela nova, a minha preocupação é fazer algo diferente e, ao mesmo tempo, não saindo daquilo que o telespectador espera de mim, que é uma coisa leve, divertida, enfim, eu acho que a gente vem sempre aprendendo na televisão. Não só na televisão, mas no teatro e na vida”, afirmou.

Quarentena

O ator garantiu que está respeitando a quarentena e tem ficado em casa o máximo que pode, mas ele explica que precisa continuar trabalhando. “Mas vou naquela proteção com álcool em gel no bolso, procuro não toca em nada, em objeto nenhum, principalmente dos outros, máscara e vamos em frente”, comentou.

“Essa quarentena, eu acho (enfático), já fez essa curva. Já subiu, já desceu, já fez a curva. Tá na hora da gente trabalhar tomando todos os cuidados, mas o Brasil e o mundo não pode parar, porque a gente vai sofrer outra doença: da pobreza e da miséria, na minha opinião”, completou.

Lives e futuro

E um dos trabalhos de Eri tem sido as lives. O ator já esteve com nomes importantes da música, como Naiara Azevedo, Humberto e Ronaldo, Ícaro e Gilmar, Gabriel Gava, Gusttavo Lima, Mumuzinho e estará em breve com Jorge Aragão.

Apesar do sucesso como apresentador, ele não sabe se continuará na função no futuro. “To adorando fazer, mas não fico pensando que agora vou ser apresentador ou vou ter um programa. Não sei. Eu só sei que o Boninho tá de olho em tudo”, concluiu aos risos.

Mais Notícias
Outros Famosos