Crime

Cacau Protásio desabafa após atos de racismo e gordofobia: "Não mereço ser agredida assim"

Atriz gravou filme usando a farda e isso incomodou profissionais

Cacau Protásio desabafa após atos de racismo e gordofobia:
Cacau Protásio sofreu ato de racismo e de gordofobia. Foto: Divulgação

Publicado em 27/11/2019 às 17:30:07

Por: Redação NT

Cacau Protásio respondeu aos atos de racismo e gordofobia que sofreu em mensagens de áudio gravadas por bombeiros do Rio de Janeiro. A atriz reforçou que é negra, é gorda, é atriz e merece respeito.

Ela não deixou barato ao saber que bombeiros estavam praticando atos racistas e gordofóbicos contra ela, divulgando trecho da gravação do filme Juntos e Enrolados em grupos do WhatsApp com zombarias.

"Sou negra, sou gorda, sou brasileira, sou atriz. Eu conto história, conto ficção e eu não mereço ser agredida assim", cravou Cacau Protásio em vídeo publicado no Instagram.

A atriz se emocionou ao dizer o quanto é difícil sofrer com atos racistas e gordofóbicos e que nem sempre é fácil resistir. "Eu sei que sou uma pessoa forte, mas ouvir tudo isso de um ser humano é horrível, muito triste. Como uma pessoa que veste uma farda tão linda tem esta postura?", finalizou.

Cacau utilizou a farda do Corpo de Bombeiros para gravar o filme Juntos e Enrolados. Para as cenas, a produção conseguiu utilizar um quartel da corporação no Rio de Janeiro e a atriz, uma das protagonistas da história, aparece como uma bombeira. 

Nos áudios que percorreram a internet na manhã da última terça (26), membros da corporação zombam da situação enquanto exibiam trechos das gravações.  'Vergonhoso. Mete aquela gorda, preta, numa farda de bombeiro, uma bucha de canhão daquela, com um monte de bailarino viado, quebrando até o chão. Vão achar que é o quê? Bombeiro? Aquilo é tudo viado. Lamentável", diz um dos áudios.

Em outro momento, os bombeiros demonstram revolta pela autorização ao elenco utilizar farda. "Olha a vergonha no pátio do quartel central. Essa mulher do Vai que Cola, aquela gorda, colocou a farda e botou os dançarinos viados com roupa de bombeiro. Isso é um esculacho, rapaz. Qual é a desse comandante? Vai deixar uma p***** dessas no pátio do quartel?".

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro soltou nota lamentando o episódio. Confira:

"O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) informa que não compactua com qualquer ato discriminatório. A corporação se solidariza com a atriz Cacau Protásio e já abriu procedimento interno para identificar o(s) militar(es) e apurar a conduta.

O CBMERJ reforça o seu compromisso com a população de Vida Alheia e Riquezas Salvar independente de cor, gênero, raça ou qualquer outra distinção. Os atos divulgados não representam a corporação centenária que, por anos seguidos, é considerada a instituição mais confiável do Brasil".

Cacau Protásio em Avenida Brasil

Cacau Protásio ganhou fama no Brasil quando atuou como Zezé em Avenida Brasil. Na novela que está sendo reprisada no Vale a Pena Ver de Novo da Globo, ela deu vida a uma das empregadas de Carminha (Adriana Esteves) e vivia rivalizando com Nina (Débora Falabella).

A personagem fez tanto sucesso na novela que ganhou até congelamento após pesquisa no site da Globo para o público decidir que personagem deveria encerrar um capítulo com o efeito de congelamento. Além disso, ela é protagonista de um dos mais icônicos memes da trama, quando ela canta e dança "eu quero ver, tu me chamar de amendoim".


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!