Maturidade como atriz

Grazi Massafera diz: “Conquistei independência financeira antes de ser mãe”

Protagonista de “Bom Sucesso”, Grazi Massafera aceitou o papel para homenagear sua mãe

Grazi Massafera diz: “Conquistei independência financeira antes de ser mãe”
Grazi rouba a cena na festa de lançamento de "Bom Sucesso" - Isabella Pinheiro/GShow

Publicado em 17/07/2019 às 06:42:00 ,
atualizado em 17/07/2019 às 09:02:16

Por: Taty Bruzzi

Grazi Massafera está de volta às novelas. A atriz será Paloma, protagonista de “Bom Sucesso", a próxima novela das sete que estreia dia 29. Na trama, a mocinha dá um duro danado para criar os três filhos sozinha. 

Longe da TV desde 2017, quando interpretou a Lívia de “O Outro Lado do Paraíso”, a atriz revelou durante a coletiva de imprensa o que motivou a aceitar o papel. “A Paloma me conquistou pela homenagem a minha mãe, que é costureira”, diz.

Na trama, Paloma é filha de uma costureira e segue a profissão da mãe, indo trabalhar no ateliê de uma marca de luxo para sustentar sua família. “Eu tenho muita memória afetiva. Fecho os olhos e escuto o barulho da máquina de costura. É muita lembrança!’, revela. 

Antes de acertar sua participação no folhetim, Grazi conta que conversou com a filha, Sofia e a menina de 7 anos, fruto do seu casamento com Cauã Reymond, apoiou a decisão da mãe. “Foi linda a conversa!’, se derrete. 

Agora, a atriz é só sorrisos quando fala do novo papel. “Eu me lembrei de quando eu era criança e minha mãe trabalhava muito. No quanto isso ajudou a me tornar uma mulher mais forte, batalhadora”, relata. 

“Eu tive a sorte de poder conquistar minha independência financeira antes de ser mãe”, ressalta. “Hoje, muitas mulheres não têm essa condição. Batalham diariamente para alimentar suas crianças e deixam de lado os seus sonhos para viverem os dos filhos”, aponta.

Em “Bom Sucesso”, Paloma viverá um drama. No início da trama, por causa da troca de um exame a costureira acredita ter apenas seis meses de vida. Questionada, Grazi afirma ter mais medo de perder alguém que ama do que de morrer.  

Por outro lado, ela acredita que o tema gera uma discussão muito importante. “Se há algo que temos certeza é a de que a morte acontecerá na vida de todos”, alega. “A gente acha que não tem fim, que é imortal, e não é”, pondera.

“O fato de a Paloma ter uma data para morrer faz ela se transformar e viver a vida de uma forma mais intensa. Isso é bom para a gente se questionar. Como você está vivendo a vida? Está do jeito que você queria que fosse?”, indaga. 

Para finalizar, Grazi se sente convencida da sua maturidade como atriz e comemora estar diante de um papel que se assemelha com o que viveu boa parte da sua vida. “Esse resgate ao que é popular, a simplicidade e espontaneidade”, lista.

“Não podemos esquecer que se trata de ficção, mas está sendo muito gostoso vivenciar isso, retratar a vida de muitas mulheres como a Paloma em um momento no qual eu me sinto com um pouco mais de maturidade como atriz. É muito prazeroso e eu estou amando”, finaliza.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!