Reportar erro
Alow

Haters se confundem e criticam Pedro Cardoso em página humorística como se fosse ele

Internautas tem enviado mensagens privadas, segundo dona do perfil

Pedro Cardoso na EBC
Pedro Cardoso no "Sem Censura" - Foto: Reprodução/EBC
Naian Lucas

Publicado em 30/05/2019 às 12:30:00

Pedro Cardoso se tornou vítima de haters nas últimas semanas. Mas engana-se quem pensa que o próprio artista esteja recebendo mensagens com xingamentos. Isso porque muitas pessoas estão confundindo uma página humorística do Facebook com o perfil oficial do ator.

A página “Eu gosto do Pedro Cardoso porque qualquer coisa ele levanta e vai embora” foi criada para satirizar o episódio em que o ex-global deixou um programa do Canal Brasil como forma de protesto pelos funcionários da EBC que, na época, faziam greves por condições melhores de trabalho.

Porém, com milhares de seguidores, vários internautas estão mandando mensagens privadas do perfil de humor para criticar o ator, acreditando que o mesmo é quem administra a página na rede social.

“Você me decepcionou muito. Não esperava que você fosse comunista”, escreveu um usuário. “Você se faz de desentendido, não consegue raciocinar ou é canalha mesmo”, bradou outro seguidor. “Por que você não vai morar na Venezuela, Cuba, Coréia do Norte? Todos são comunistas”, disse mais um internauta.

A divulgação das mensagens foi feita no Twitter pela criadora da página. O nome dela é Andreza Delgado, que não poupou os haters e ironizou as frases recebidas. “Eu tenho uma página no Facebook chamada ‘Eu gosto do Pedro Cardoso porque qualquer coisa ele levanta e vai embora’ é uma brincadeira com a situação do EBC”, iniciou. “Só que os bolsominions acham que a página é do Pedro e ficam mandando mensagens”, disse.

Pedro Cardoso e EBC

Pedro Cardoso, de 54 anos, foi convidado para participar o programa “Sem Censura” em novembro de 2017. Ele entrou no cenário, sentou no sofá, entretanto, surpreendeu a apresentadora Katy Navarro e abandonou a atração.

 “Eu não vou responder essa pergunta --e nenhuma outra-- porque quando eu cheguei aqui, eu encontrei uma empresa que está em greve. E não participo de programa em empresas que estão em greve”, declarou Cardoso, despedindo-se dos convidados e saindo do local.

Os servidores da EBC entraram em greve no dia 14 de novembro do ano retrasado, quando o presidente ainda era Michel Temer. Eles pediam a revisão de medidas como a retirada de benefícios e o congelamento de salários.

Além disso, Pedro ficou insatisfeito com a manifestação Laerte Rimoli, ex-presidente da estatal, que compartilhou postagens nas redes sociais ironizando as declarações de Taís Araújo. A atriz, na época, falou sobre o racismo e que a cor da pele do seu filho fazia pessoas atravessarem a rua.

“O que eu soube também quando cheguei aqui é que o presidente dessa empresa, que é uma empresa que pertence ao povo brasileiro, fez comentários extremamente inapropriados a respeito do que teria dito uma colega minha, onde a  presença do sangue africano é visível na pele. Porque o sangue africano está presente em todos nós, e em alguns está presente também na pele”, disparou Cardoso.

A EBC precisou soltar nota oficial, declarando que é uma empresa plural e democrática. “Esta postura da EBC é o resultado da diretriz jornalística e profissional implementada pela atual direção da Empresa Brasil de Comunicação. Nossa programação é a prova viva - e ao vivo - de que esta empresa de comunicação pública é plural, é democrática, acolhe a diversidade de opinião e respeita a lei, inclusive o direito de greve”, concluiu.

Mais Notícias
Outros Famosos