Reportar erro
Capital Inicial

Dinho Ouro Preto fala sobre música e política: "Faz parte da essência do rock"

Vocalista analisou o governo atual e fez críticas

Dinho Ouro Preto
Dinho Ouro Preto - Foto: Reprodução
Laís Lubrani

Publicado em 20/04/2019 às 16:00:00

Em entrevista ao jornal espanhol "El País", Dinho Ouro Preto falou sobre política e criticou o posicionamento de Sérgio Moro ao aceitar o cargo de ministro no governo de Bolsonaro.

O juiz também recebeu críticas de José Padilha e outros brasileiros. Dinho revelou que conheceu Moro e que esperava que ele continuasse neutro, defendendo o trabalho na Lava Jato: "Em relação ao Sérgio Moro, eu o conheci. Ele foi a um show do Capital em Curitiba, antes da condenação do Lula. Eu disse no palco que ele estava presente e o lugar veio abaixo, todo mundo aplaudiu. Depois conversamos no camarim. Eu via o trabalho dele na Lava Jato como apartidário (...) O Moro não deveria ter aceitado o cargo de Ministro. Soou como se ele tivesse uma agenda em comum com o Bolsonaro."

O vocalista da "Capital Inicial" ainda falou sobre o que concorda e discorda no plano e integrantes do governo: "Discordo de muita coisa do Governo Bolsonaro, principalmente do núcleo ligado ao Olavo de Carvalho. Estou de acordo
com parte da agenda do Paulo Guedes. As contas precisam bater. Mas as reformas econômicas não são suficientes para incluir as dezenas de milhões de excluídos", disse Dinho.

Durante todo o período eleitoral, muitos artistas se posicionaram favoráveis a diversos candidatos. Ainda para o "El País", Dinho afirmou que é necessário respeitar: "É tolice medir o talento de um artista por suas posições políticas".

O vocalista ainda relevou que considera um risco fazer música com viés político: "Eu tenho histórico de incomodar a todos. Fui bastante xingado durante as eleições, por militantes de vários lados. (...) Mas eu não me intimido. Que xinguem! (...)
Confrontar o poder, seja quem for, faz parte da essência do rock", analisou.

Mais Notícias
Outros Famosos