"Deus Salve o Rei" tenta repetir fórmula com produção grandiosa, mas ainda não disse a que veio

Enfoque NT analisa a nova novela das sete, "Deus Salve o Rei"

História de amor entre Afonso e Amália não empolga - Divulgação/TV Globo

Publicado em 30/01/2018 às 11:53:22 ,
atualizado em 30/01/2018 às 12:03:24

Por: Thiago Forato

Completando três semanas no ar nesta terça-feira (30), "Deus Salve o Rei" continua com bombardeio de chamadas na programação da Globo.

Contando a história de amor entre a plebeia Amália (Marina Ruy Barbosa) e o príncipe Afonso (Rômulo Estrela), a história de Daniel Adjafre tem como grande trunfo sua produção grandiosa, fotografia impecável e figurino irretocável.

Até o momento, todos os grandes atributos da novela das 19h tem sido pautado pelo visual, muito em função da minúcia da direção de Fabrício Mamberti.

A história em si tenta repetir a fórmula consagrada água com açúcar, que deu certo em produções anteriores nessa mesma faixa horária, mas que até agora, não está sendo bem contada com o mesmo brilhantismo em "Deus Salve o Rei".

A gata borralheira que se apaixona pelo príncipe encantado é uma história que nunca envelhece. Afinal, ela é contada de maneiras diferentes em várias novelas até hoje, mas o jeito e as curvas que essa história faz é o grande segredo para determinar seu sucesso. Ou fracasso.

Paralelamente à saga de Amália, Afonso e Catarina, esta interpretada de maneira controversa por Bruna Marquezine, vem a história de Selena, vivida por Marina Moschen.

Na pele de uma guerreira que nunca se contentou apenas em servir o Castelo de Montemor, ela entrou para o treinamento do exército do reino e caminha para encontrar mais espaço dentro da trama.

"Deus Salve o Rei" certamente não quer inventar a roda. Longe disso. Mas com uma trama principal ainda fraca, outros núcleos devem ganhar força nos próximos meses, como a parceria entre Johnny Massaro como Rodolfo e Tatá Werneck como Lucrécia. Uma válvula de escape que pode ser importante dentro da história.

Com uma divulgação que há muito não se via (ou nunca se viu), "Deus Salve o Rei" tem pouco tempo de exibição, é verdade, mas ainda não fez jus a toda a essa badalação anterior a estreia.

Thiago Forato é jornalista, escreve sobre televisão há 13 anos e assina a coluna Enfoque NT há sete, além de matérias e reportagens especiais no NaTelinha. Converse com ele: thiagoforato@natelinha.com.br Twitter: @tforatto



publicidade

LEIA MAIS

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!

publicidade