"Guerra de notícias"

CNN fura GloboNews e é a primeira a informar saída de Queiroz da cadeia

STJ concedeu prisão domiciliar a ex-assessor de Flávio Bolsonaro

CNN fura GloboNews e é a primeira a informar saída de Queiroz da cadeia
CNN Brasil é a primeira emissora a noticiar prisão domiciliar de Fabrício Queiroz (Foto: Reprodução/CNN Brasil)

Publicado em 09/07/2020 às 17:57:42

Por: Paulo Pacheco

 

Na "guerra" pela notícia, a CNN Brasil derrotou a GloboNews nesta quinta-feira (9), sendo a primeira emissora a informar a saída de Fabrício Queiroz do presídio em Bangu (RJ). O presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), ministro João Otávio de Noronha, concedeu prisão domiciliar ao ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro e sua mulher, Márcia Aguiar.

Às 16h32, a vinheta de Breaking News da CNN interrompeu o comentário da jornalista Thais Heredia sobre a reunião do vice-presidente Hamilton Mourão com investidores estrangeiros sobre o fundo para preservar a Amazônia. A apresentadora Daniela Lima pediu desculpas pela interrupção e trouxe a notícia.

“Pedimos desculpas, a gente teve que interromper a Thais Heredia, porque, atenção, decisão muito importante: o presidente do STJ decidiu conceder prisão domiciliar a Fabrício Queiroz e a mulher dele, Márcia, considerada foragida da Justiça. A decisão foi confirmada agora por mim, também o Daniel Adjuto trabalhando nesta confirmação”, disse Daniela.

Dois minutos depois, às 16h34, a GloboNews divulgou a informação, sem interromper outro assunto no ar. Durante o Edição das 16, a apresentadora Christiane Pelajo chamou o repórter Ricardo Abreu para noticiar a saída de Fabrício Queiroz da cadeia. Em seguida, os comentaristas Gerson Camarotti e Valdo Cruz analisaram a decisão do STJ.

Enquanto a CNN falou sobre a prisão domiciliar de Queiroz durante 47 minutos, com a participação dos jornalistas Iuri Pitta, Carol Nogueira e Daniel Adjuto, a GloboNews se estendeu no tema por apenas 12 minutos.





LEIA TAMBÉM

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!