Reportar erro
Exclusivo

GloboNews está invicta contra CNN no horário nobre e lidera Ibope da TV paga desde março

Canal de notícias da Globo cresceu desde a chegada da nova e principal concorrente

César Tralli na redação da GloboNews
Fazendo jornada dupla, César Tralli é o grande destaque da GloboNews
Gabriel Vaquer

Publicado em 01/07/2020 às 10:20:33

As mudanças na programação da CNN Brasil no horário nobre tem nome e sobrenome: GloboNews. Numa concorrência de três meses e meio, o canal de notícias da Globo está invicto. Desde a estreia, em 15 de março, a CNN jamais venceu a GloboNews no horário nobre, e mais, a viu explodir em audiência e assumir a liderança geral da TV paga durante o dia e no horário mais importante da TV.

Segundo dados obtidos com exclusividade pelo NaTelinha, de 15 de março até ontem, 30 de junho, a GloboNews marcou média de 1,2 ponto na Grande São Paulo e foi líder geral entre todos os canais de TV por assinatura no país. O crescimento de Ibope foi de 84%, saindo de 0,65 para 1,2. Além disso, no período, o canal foi visto por mais de 18 milhões de telespectadores no horário nobre, entre 18h e 0h, um aumento nesse alcance de 95%.

Sem exceção, todos os programas do horário nobre da GloboNews cresceram em audiência no período. O grande destaque foi o Edição das 18h, que durante a pandemia é apresentado por César Tralli, que dobra expediente - ele também apresenta o SP1 na TV aberta. Em situações normais, a atração é apresentada por Leilane Neubarth, afastada por ser do grupo de risco do novo coronavírus.

O jornal exibido das 18h às 20h obteve mais que o dobro da crescimento, com aumento de 137% em seus números na Grande São Paulo. Já o GloboNews Em Pauta, apresentado por Marcelo Cosme, e o Jornal das Dez, ancorado por Heraldo Pereira, também tiveram alta de forma consistente e obtiveram crescimento de 53% e 41%, respectivamente.

O Edição da Meia-noite, que fecha a programação diária da GloboNews e é apresentado por Erick Bang, cresceu 54% na comparação entre os períodos de antes e depois do início do isolamento social no Brasil e só perde apenas para o canal Viva, que no horário exibe as novelas Chocolate com Pimenta e Brega & Chique, sucessos na TV paga.

Entre os cinco eventos que mais conquistaram audiência no horário nobre durante este período para a GloboNews, se destacam a saída do ex-ministro Sérgio Moro, no dia 24 de abril; a divulgação do vídeo da reunião ministerial, no dia 22 de maio; a prisão do ex-assessor Fabrício Queiroz, que aconteceu no dia 18 de junho; o pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro, no dia 25 de março; e a ameaça do ex-ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta de pedir demissão no dia 6 de abril.

GloboNews aumentou ao vivo e CNN quer correr atrás

O grande trunfo da GloboNews, curiosamente, foi a pandemia do novo coronavírus e a estreia da CNN Brasil. O canal de notícias da Globo decidiu aumentar seu tempo de transmissão ao vivo e suspender, temporariamente, programas de entrevista como o Em Foco com Andréia Sadi e de debates, como o Painel, ancorado por Renata Lo Prete.

Com grande foco na notícia factual, o canal passou a produzir cerca de 20 horas de jornalismo ao vivo, ficando no ar diretamente das 6h à 1h30 ininterruptamente, além de ter boletins ao vivo no horário das reprises dos programas Em Pauta e Jornal das 10, entre 2h e 6h. Fontes ouvidas pelo NaTelinha têm apenas uma interpretação: a chegada da CNN Brasil fez a GloboNews buscar o seu máximo para não dar espaço para a novata.

A CNN tem um horário nobre composto por ex-globais, como Monalisa Perrone e William Waack. O segundo não tem conseguido boa audiência e tem o jornal pressionado por audiência internamente. Também para fazer frente ao horário nobre da GloboNews, a CNN Brasil vai estrear nas próximas semanas o CNN Tonight, uma atração que vai misturar jornalismo, debates e variedades.

O programa será exibido no confronto contra o Jornal das 10 de Heraldo Pereira na GloboNews e terá Mari Palma na sua apresentação. Gabriela Prioli e Leandro Karnal vão debater os assuntos do dia no jornalístico e é na popularidade dos três que a CNN Brasil espera fazer frente aos números altos da GloboNews no principal horário de investimentos do mercado publicitário.

 

Mais Notícias