Exclusivo

Tom Cavalcante volta com psicóloga no Multishow e aconselha Bolsonaro: "tira o tá ok"

Dra. Darci de Tom Cavalcante estreia nesta quarta-feira (20) no Multishow

Tom Cavalcante volta com psicóloga no Multishow e aconselha Bolsonaro:
Tom Cavalcante interpreta Dra. Darci em série no Multishow - Divulgação

Publicado em 19/05/2020 às 05:30:49

Por: Thiago Forato

De volta em mais uma temporada de Dra. Darci, no canal Multishow a partir da próxima quarta-feira (20), às 22h30, Tom Cavalcante vive em lua de mel com a emissora. "É tudo aquilo que eu sempre sonhei e defendi como TV", elogia ele numa entrevista exclusiva ao NaTelinha. De acordo com o comediante, a personagem é resultado de uma soma de observações que estão acumuladas em seu HD interior. "A voz passa por uma professora de canto que tive no Ceará, a performance de psicóloga passa por tudo que já vi e assisti", afirma.

Nessa nova leva episódios, após a falência da rádio 42FM, Darci (Tom) resolve investir na carreira de influenciadora digital e cria seu canal de YouTube, enquanto ainda atende os pacientes no consultório, em sua casa. As filhas de Darci e sua esposa Cintia (Fabiana), Debora (Fernanda Concon) e Julinha (Manuela Aidar), vão estudar nos Estados Unidos, mas participam dos dois primeiros episódios.

Sobre o trabalho com Fabiana Karla, sua parceira de cena, Tom diz que essa vontade de atuar ao lado da amiga vem de anos. "As agendas nunca se alinhavam. Deu de nos encontrarmos em Darci para minha imensa alegria e realização", agradece.

Desenvolvimento do roteiro e improvisos

Em Dra. Darci, Tom conta que os roteiros são construídos a partir de reuniões que fazem para encontrar temas que se identifiquem com a realidade. "Escolhidos, vamos criá-los. Ao final, eles são enviados para que eu possa dar um up se necessário, e depois entregue aos atores que têm a liberdade de mudar, sugerir".

"O improviso fica por conta do casal Cíntia e Darci, pela nossa prática de atuar e conhecer o universo de cada personagem. Um faz escada para o outro. Nesse instante, o improviso ganha em graça", orgulha-se.

Com dezenas de pacientes famosos, questionamos caso o presidente Jair Bolsonaro queira procurar Dra. Darci, o que será que ela responderia?

"Aconselharia ele retirar o 'tá ok' do vocabulário pois não está 'nada ok' nesse momento", resume Tom.

Formatação no Multishow e passagem pela Record

Para Tom, não há tanta diferença em formatar um humor para a TV aberta ou fechada. "Os procedimentos são os mesmos. Uma trabalheira sem fim. Reunir bons roteiristas, seleção do elenco, cenários, direção, produção, logística de gravações, plateia, etc. Pelo lado do modelo para humor não vejo muita diferença não", diz.

Sobre sua passagem pela Record, entre 2004 e 2011 onde comandou o Show do Tom, disse: "Uma experiência rica onde pude colocar em prática todo meu potencial criativo como apresentador, entrevistador, criador e diretor".

Com pouco investimento em humor na TV aberta, Tom acredita que esse comportamento seja estranho e lança: "Interessante que o custo benefício é fantástico, mas não há um aquecimento desse segmento".

E não deixou de elogiar o Multishow por vir investindo bastante no humor nos últimos anos: "Multishow é tudo aquilo que eu sempre sonhei e defendi como TV. Janelas abertas para se fazer humor para todos os gostos".


Siga o NaTelinha nas redes sociais

Reportar erro

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!