Reportar erro
Climão

Burnier manda recado para Bolsonaro na GloboNews: "Não vamos nos calar"

Jornalista respondeu ao presidente, após ele ter mandado jornalistas calarem a boca

José Roberto Burnier em foto
José Roberto Burnier mandou recado para o presidente Bolsonaro - Foto: Divulgação
Redação NT

Publicado em 05/05/2020 às 15:39:33

O jornalista José Roberto Burnier mandou um recado para o presidente Jair Bolsonaro nesta terça-feira (05), durante o encerramento do Jornal GloboNews - Edição das 10h. O profissional pediu licença para falar diretamente ao chefe do Executivo e afirmou que os jornalistas não irão se calar.

"Antes de encerrar, se me dão licença, eu vou mandar um recado ao sr. presidente Jair Bolsonaro. Nós não vamos calar a boca", comentou o jornalista. A afirmação aconteceu pouco depois de Bolsonaro ter mandado jornalistas calarem a boca, durante bate-papo diante do Palácio do Planalto, em que ele fez acusações contra o jornal Folha de S.Paulo.

"Eu me solidarizo e nós todos nos solidarizamos com nossos colegas jornalistas de Brasília que estão sendo diariamente achincalhados pelo presidente da República e pelos seus seguidores. Que eles (jornalistas) estão apenas cumprindo seu trabalho, estamos todos fazendo isso. Não vamos calar a boca", continuou Burnier.

As reações para a atitude de Bolsonaro têm acontecido nos mais diversos locais. No Twitter, o jornalista Fabio Pannunzio lançou um desafio para os colegas. "9 anos de jornalismo, com muito orgulho. @jairbolsonaro, a mim você não cala. #eunaomecalo", escreveu o profissional marcando a colega Carla Vilhena, que concordou em participar da campanha, marcando outros 15 colegas. A maioria ainda não participou da campanha

Bolsonaro e a relação com a imprensa

Bolsonaro tem tido uma difícil relação com a imprensa desde que assumiu, fazendo diversas acusações contra veículos de comunicações, inclusive de fake news. No último final de semana, manifestações de bolsonaristas em Brasília levaram a agressões de jornalistas do Estadão.

A reação foi imediata e diversos políticos e entidades soltaram nota de repúdio, lembrando a importância da liberdade de imprensa. Bolsonaro não comentou o assunto, embora tenha participado das manifestações e incentivado as pessoas a protestarem.

Mais Notícias