Polêmica

Datena critica Bolsonaro por não repudiar agressão a jornalistas: "Não foi enfático"

Apresentador da Band achou o tom do presidente errado

 Datena critica Bolsonaro por não repudiar agressão a jornalistas: "Não foi enfático"
Reprodução/ Band

Paulo Pacheco

Publicado em 04/05 às 19:13:36

José Luiz Datena criticou o presidente Jair Bolsonaro, durante o Brasil Urgente desta segunda-feira (4), por não repudiar de maneira enfática as agressões a profissionais de imprensa durante ato contra as instituições democráticas no último domingo, em frente ao Palácio do Planalto.

continua depois da publicidade

Nesta manhã, Bolsonaro disse a apoiadores e jornalistas que "teria havido uma agressão lá, não sei", mas reclamou das críticas do Fantástico contra ele.

"Nós condenamos qualquer agressão, mas quando pegam uma mãe e uma filha de 14 anos e botam para dentro de um camburão a Globo não fala nada. Quando prendem uma mulher de biquíni no Recreio, a Globo não fala nada", rebateu o presidente, citando casos de pessoas que desrespeitaram o isolamento social em função do novo coronavírus e foram detidas por desacatar policiais.

continua depois da publicidade

Nosso repúdio total às agressões e nossa solidariedade aos amigos que foram agredidos, isso é lamentável mesmo

Datena

Após ver a resposta de Bolsonaro, Datena interpretou que o repúdio às agressões contra jornalistas foi dito de maneira breve e no tom errado.

Datena critica postura de Bolsonaro

"O presidente se desculpou pela agressão aos jornalistas, mas não deu o contraponto daquelas prisões de pessoas estarem andando desacompanhadas no meio da rua. Como sempre, meteu o pau na Globo. Mas ele não foi enfático em defender os profissionais de imprensa que estavam lá e que foram agredidos de bobeira. Tanto que houve gente no meio da manifestação a favor do presidente da República que teve a consciência de pegar os repórteres do Estadão e levar até a Polícia Militar para que não fossem mais agredidos", afirmou o apresentador do Brasil Urgente, que chamou os ataques de "absurdos".

continua depois da publicidade

"A imprensa brasileira, com todos os defeitos teve, teve um papel democrático até hoje, muita gente foi morta por ser democrata. A imprensa tem que ser respeitada, como qualquer tipo de profissão. O que o cara que estava lá fotografando para o jornal O Estado de S. Paulo tem que levar porrada? O que ele fez contra o presidente da República? Se você quiser fazer a sua manifestação, faça, mas que não seja agressivo com ninguém da imprensa. A liberdade de imprensa, acima de tudo, é um dos princípios mais básicos e claros à democracia. Nosso repúdio total às agressões e nossa solidariedade aos amigos que foram agredidos, isso é lamentável mesmo", concluiu o jornalista da Band.

continua depois da publicidade