Desabafo

Pitty admite não se sentir bem com notícias sobre coronavírus: "Me deixando sem ar"

Cantora tem filtrado informações para não ficar triste


Pitty
Pitty falou sobre coronavírus - Foto: Reprodução

Pitty afirmou no programa Saia Justa, na última quarta-feira (1°), que tem ficado sem ar ao acompanhar as notícias sobre a pandemia do novo coronavírus. Além da cantora, as outras integrantes do programa do GNT – Astrid Fontenelle, Mônica Martelli e Gaby Amarantos – participaram da produção por videoconferência.

“Nesse momento todo mundo está sentido uma mistura de ansiedade e tristeza. É normal sentir isso, porque é uma situação muito nova pra gente e que realmente assusta", declarou Pitty. “Temos que saber identificar os nossos gatilhos, o que nos faz mal nesse momento, para lidarmos melhor com essa sensação” continuou.

“Por exemplo, ver muitas notícias durante o dia acaba me deixando sem ar. Então, escolho apenas um ou dois veículos de imprensa confiáveis para me informar sobre o que está rolando no Brasil e no mundo sobre a pandemia”, acrescentou a roqueira que está em isolamento em sua casa com o marido Daniel Weksler e sua filha Madalena.

“Quando percebo que a ansiedade está querendo chegar, imediatamente reduzo qualquer tipo de preocupação. Estou com zero preocupação com o corpo, por exemplo. Se eu ganhar peso ou não, ou se eu não conseguir cumprir todas as minhas metas do dia que eu mesma determinei, está tudo bem. Temos que ser menos exigentes com nós mesmos nesse momento”, comentou Gaby Amarantos.

Pitty também explicou que tem tomado cuidado com as redes sociais para não ficar focada apenas na doença. “Tem alguns perfis no Instagram que te deixam mal e desencadeiam uma série de sentimentos negativos em nós. A melhor coisa é parar de segui-los”, ressaltou.

Pitty ganhou apoio de Astrid

Além de Pitty, a apresentadora Astrid confessou que tem diminuído sua participação em aplicativos e limitado o tipo de informações que tem recebido das redes sociais. "Falando em WhatsApp, estou limpando até os grupos", explicou.

“Acho um desrespeito esses grupos. Tem umas trezentas pessoas e vira a maior desorganização, viu”, ressaltou. Ela explicou que tem procurado assistir filmes e escutar música durante o período de pandemia.

Mais Notícias