Rapaaaz

Ratinho e SBT são condenados por fake news e terão que indenizar padres

Reportagem considerada falsa foi exibida em 1999

Ratinho e SBT são condenados por fake news e terão que indenizar padres
Ratinho e SBT foram condenados pela Justiça - Foto: Reprodução/SBT

Naian Lucas
i

Naian Lucas

Naian Lucas escreve há 10 anos e já fez de tudo um pouco nas redações. Apaixonado por televisão, é roteirista e trabalha na área desde 2014. Atualmente, é repórter do NaTelinha e aficcionado por tudo que envolve dramaturgia. Siga-me no Twitter: @naiaan

Publicado em 17/06/2019 às 16:51:46

Demorou, mas o SBT e Ratinho foram condenados pelo STJ (Supremo Tribunal de Justiça) por causa de uma reportagem exibida pelo seu programa em 1999. Dois padres, envolvidos no caso, processaram a atração porque as informações passadas na matéria não eram verídicas.

A Justiça decidiu que os padres da cidade de Astorga, localizada no estado do Paraná, receberão cerca de R$ 400 mil, já corrigidos. Os valores serão repartidos meio a meio, ou seja, Carlos Massa desembolsará R$ 200 mil e o restante ficará na responsabilidade do SBT.

Segundo informações do jornalista Lauro jardim, do jornal O Globo, a reportagem afirmava que uma mulher havia abandonado o marido e foi morar com o padre que acabou realizando a cerimônia de casamento.

O primeiro problema ocorreu por causa de uma troca de padres: as imagens mostradas pelo “Programa do Ratinho” eram de outro sacerdote. O segundo ponto é que a história não existiu, ou seja, a Justiça concluiu que a notícia foi uma “fake news”.

O documento da decisão detalha que houve imprudência da emissora e da produção do comunicador em passar uma reportagem ao vivo inverídica, ofendendo a honra e o sofrimento das vítimas, pois houve enorme repercussão, já que a atração tinha alta audiência no final dos anos 90.

O caso foi ainda mais grave, segundo informações da sentença, porque os padres ficaram com a marca de terem infringido o celibato, o que é considerado por católicos uma infração grande.

A decisão da Justiça não cabe mais recurso.

 


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!