Nostalgia

Tiago Santiago estreava sua última novela há oito anos

No SBT, Tiago Santiago fracassou com uma trama ambiciosa

Tiago Santiago estreava sua última novela há oito anos
Tiago Santiago foi o autor de "Amor e Revolução". Foto: Divulgação/Internet

Naian Lucas
i

Naian Lucas

Naian Lucas escreve há 10 anos e já fez de tudo um pouco nas redações. Apaixonado por televisão, é roteirista e trabalha na área desde 2014. Atualmente, é repórter do NaTelinha e aficcionado por tudo que envolve dramaturgia. Siga-me no Twitter: @naiaan

Publicado em 05/04/2019 às 11:30:07

Há exatos oito anos, no dia 05 de abril de 2011, ia ao ar o primeiro capítulo daquela que seria a despedida de Tiago Santiago das telenovelas brasileiras até aqui. Pelo SBT, começava a trajetória de “Amor e Revolução”.

Após ter sido contratado a peso de ouro por Silvio Santos e emplacar uma novela com audiência modesta, “Uma Rosa com Amor”, o autor de sucessos da Record como “Escrava Isaura” e “Caminhos do Coração”, finalmente levava ao ar sua primeira trama inédita na emissora.

O enredo acontecia durante o golpe militar em 1964 e narrava a trajetória dos personagens no período de chumbo da ditadura. O militar José Guerra (Cláudio Lins) se apaixonava pela guerrilheira Maria Paixão (Graziela Schimidt). O amor impossível é um dos fios condutor da produção.

A trama deu muito o que falar ainda antes da estreia. Isso porque o novelista queria Alice Braga para o papel principal. A atriz brasileira radicada nos EUA, onde faz filmes e séries, acabou não chegando a acordo e o papel ficou com Graziela.

 

A estreia de uma novela própria de Tiago Santiago no SBT foi cercada de expectativa, tanto por parte do público quanto da crítica, já que ele vinha de grandes sucessos de audiência na Record, chegando a incomodar a Globo com suas obras.

Porém, “Amor e Revolução” acabou sendo um retumbante fracasso.  A novela teve média de 4,76 pontos na Grande São Paulo e não chegou sequer perto da audiência das atuais tramas do SBT.

Em crise no Ibope e também bastante criticada por público e jornalistas - por conta de seu texto demasiadamente didático -, “Amor e Revolução” ainda sofreu uma tentativa de censura.

Poucos depois do primeiro capítulo da trama, um grupo de militares foi ao Ministério Público Federal e pediu o fim da exibição da novela afirmando que a trama denegria a imagem da corporação e exagerava nas cenas do período de Ditadura. O pedido foi arquivado.

Vale lembrar que, embora com muitos problemas, “Amor e Revolução” foi responsável pelo primeiro beijo lésbico da televisão brasileira. As atrizes Luciana Vendramini e Gisele Tigre protagonizaram a cena polêmica na época.

Após a novela, Tiago Santiago acabou encerrando seu contrato com o SBT e não voltou mais ao formato. Na época, deixou na emissora três textos prontos, que conseguiu reaver recentemente.

Em entrevista ao NaTelinha, o autor comentou: "São duas novelas e uma série, prontas, escritas com muito amor. São as minhas melhores ideias, que eu tinha deixado pra bombar no fim do contrato com o SBT, novelas para toda a família. Tenho muita esperança de que venham a ser produzidas e exibidas, porque elas merecem. Onde e quando isso vai acontecer, ainda não sei, porque não depende apenas de mim".

Atualmente, ele está no ar com a reprise de “Caminhos do Coração” na Record. Em outra declaração mais recente ao site, Tiago comemorou: "Amei muito a volta da novela ao ar. Toda uma geração vai ter agora a oportunidade de assistir. Espero que reprisem sem cortes, as três temporadas".

Atualmente, o roteirista vive nos Estados Unidos e tenta emplacar carreira internacional.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!