Na TV Tupi

Há 40 anos, estreava um dos programas mais importantes para a redemocratização do Brasil

"Abertura" ia ao ar na primeira emissora do país, a TV Tupi


O jornalista Glauber Rocha
Glauber Rocha no programa "Abertura" - Divulgação

Com a apresentação de Luis Jatobá, há 40 anos estreava nas noites de domingo o programa "Abertura", da primeira emissora de televisão no Brasil, a TV Tupi.

A atração debatia a abertura política, em um período que o país passava por um processo de redemocratização. Figuras como Fernando Sabino, Glauber Rocha, João Saldanha e Norma Bengell participaram daquelas edições e falavam abertamente sobre temas como anistia, exílio, censura e eleições diretas.

Tido como um dos programas mais importantes da época naquele processo de redemocratização, o "Abertura" era visto como uma exceção na TV, onde as emissoras não investiam tanto em conteúdo intelectual.

Revista eletrônica, umas das cabeças do programas era Fernando Barbosa Lima, que numa entrevista ao jornal do Brasil naquela época, disse que o jornalístico era muito visto em Brasília por homens que devem tomar consciência de que a TV era um instrumento de comunicação que pode elevar o nível da população.

"Sendo o único massificador [TV], é o que tem condição de melhorar culturamente esse nível. Os anunciantes, por exemplo, descobriram que ela é o veículo número um. aplicam nela 70% de suas verbas", ressaltou.

Para ele, o "Abertura" assumia um compromisso político com o povo e tinha como ditado que quem está na chuva é para se molhar e ao periódico, contou aprender que o brasileiro é interessado em político.

"Diria que o 'Jornal Nacional' está atingindo 40 milhões de pessoas, e nós, 12 milhões. Só as classes B e C representam 70% da audiência. E nós somos obrigados, pelo horário, a procurar as faixas A e B. Muitos nos chamam de elitistas, mas um operário acorda às 5h da manhã. Quando levamos o Lula ao nosso programa, não é para que seja visto pelos operários, mas por políticos, Intelectuais, estudantes. Para nós, a dimensão humana é muito mais importante que a técnica", ressaltou.

Outros tempos

A televisão na década de 1970 ousou em discutir temas considerados anteriormente perigosos, muito em gunção da extinção da censura prévia, iniciada em 1975, com o fim da censura no jornal O Estado de São Paulo.

O jornalista Fernando Barbosa Lima estava afastado desde 68 quando se dedicou à uma agência de publicidade e o projeto do "Abertura" é que o seduziu a voltar.

A forma solta e descontraída fazia do "Abertura" um espaço diferente.

A revista eletrônica, no entanto, durou pouco: mais de um ano, terminando em maio de 1980, já que a TV Tupi acabou fechando naquele ano.

Mais Notícias