Reportar erro
Autora

Glória Perez planeja reunir escritores renomados em uma série "top" na Globo

Nomes diversos, como Manoel Carlos, Gilberto Braga e Walcyr Carrasco, estão no projeto

gloriaperez2018_01e2b2d82a4d3882491b95395139b16ee9881c6c.jpeg
Foto: João Cotta/TV Globo
Redação NT

Publicado em 24/07/2018 às 10:10:06

Glória Perez está trabalhando no desenvolvimento de uma série com a participação de escritores de diversas áreas (televisão, teatro, cinema e jornalismo), com cada um deles assinando um episódio. Esse é um dos frutos da presença da autora na gestão de séries da Globo. Desde o começo do ano, Glória auxilia Silvio de Abreu, diretor de dramaturgia da emissora, no comando do setor.

“Vem aí Gilberto Braga, Aguinaldo Silva, Domingos de Oliveira (cineasta), Ricardinho Linhares, Edney Silvestre (repórter da Globo Rio), Geraldinho Carneiro, Walcyr Carrasco, Manoel Carlos e muito mais. Tudo num pacote só. Aguardem”, contou Glória à reportagem do NaTelinha, mantendo certo mistério. Ela não esconde a empolgação com o produto, que está sendo finalizado. “Uma série top”, brinca.

Como a Globo está buscando produzir conteúdos exclusivos para as plataformas digitais - como o Globo Play e o futuro “Globoflix” -, não há definição se ela passará na televisão aberta, a exemplo das obras "Assédio" e "Ilha de Ferro", produções que, até segunda ordem, estarão restritas ao ambiente virtual. “Não sei para qual plataforma irá. Mas ela cabe tanto em uma quanto em outra”, opina.

Novos desafios

A rotina de Glória Perez mudou em março deste ano, quando foi convidada para cuidar da Casa dos Roteiristas - local onde trabalham os roteiristas de séries da Globo. “Estou dedicada a trazer projetos novos e competitivos para o cardápio das séries, trazendo gente do cinema e do teatro para reforçar as equipes e propondo novos desafios aos meus colegas da TV”, diz.

O recrutamento veio após Guel Arraes pedir afastamento da direção de dramaturgia semanal, alegando cansaço do trabalho administrativo, segundo informações do jornalista Maurício Stycer, do UOL. Com a saída de Guel, o setor foi extinto e as atribuições repassadas para Silvio de Abreu, unificando a gestão da dramaturgia global.

Mais Notícias