Reportar erro
Fortaleza

Éramos Seis: Lola ganha presente de Carlos, quita a casa e homenageia filho morto

Dona de casa faz discurso emocionado ao lembrar morte do filho

Gloria Pires
Lola recebe herança de Carlos em Éramos Seis - Reprodução/TV Globo
Taty Bruzzi

Publicado em 29/01/2020 às 06:39:00

Nos próximos de Éramos Seis, Carlos (Danilo Mesquita) será vítima de uma fatalidade. O rapaz morre após ser atingido por uma bala perdida enquanto passava por uma manifestação de trabalhadores. O filho mais velho de Lola (Gloria Pires) chega a ir para o hospital, mas não resistirá aos ferimentos. Sua partida irá mexer com a estrutura de toda a família, a começar pela dona de casa que fica devastada.

Porém, a doceira terá uma grande surpresa ao descobrir que o bancário havia feito um seguro de vida em nome da matriarca. Com o dinheiro ela finalmente conseguirá quitar a casa.

No dia que concluir a compra do imóvel, Lola irá fazer um discurso emocionante em homenagem o ao filho afirmando que o sonho de toda uma vida só foi possível com derramamento de sangue. Confira!

Carlos morre e surpreende mãe com herança

Nos próximos capítulos de Éramos Seis, Carlos morre depois de ser baleado enquanto passava por uma manifestação. O bancário será socorrido com outras vítimas, mas não resistirá ao ferimento. Sua partida irá mexer com todos da família. Alfredo (Nicolas Prattes) faz as pazes com o irmão, pede desculpas pelos vários desentendimentos e recebe o pedido para cuidar da mãe agora que se tornou o homem da casa.

Já Isabel (Giullia Buscaccio) irá se sentir culpada já que dias antes ela e Carlos haviam brigado feio por causa do relacionamento da moça com Felício (Paulo Rocha). O bancário chegou a dar um tapa na cara da irmã.

Além disso, no dia em que foi baleado, o namorado de Inês (Carol Macedo) estava indo se encontrar com o advogado para pedir-lhe mais uma vez que desistisse da moça.

Agora, será a jovem quem não irá querer mais manter o namoro.
De todos, Lola será a que mais irá sentir a perda do filho já que Carlos sempre foi quem mais esteve ao seu lado. Então a dona de casa vai cair em profunda depressão.

Sem vontade de viver, a doceira chega a questionar o fato de que o primogênito sempre prometeu que estaria ao seu lado. “Realmente, você não cumpriu a promessa… Queria tanto te ver uma vez mais… Era meu melhor amigo, meu filho. Contava com você”, lamenta a doceira.

"Mamãe, mamãe… Não chore. Sou eu. Mamãe, ouça a vó Maria. Você tem que acordar para a vida. E me deixar ir em paz… Mas eu vou estar sempre por perto, cuidando de você…Sempre… Não esqueça disso…", ouvirá a mãe de Carlos.

"Sempre. Mamãe, agora cuida dos meus irmãos, da casa e de si, prometa. É você que tem que prometer… eu olho por vocês…”, escuta Lola abrindo os olhos cheio de lágrimas.

Na manhã seguinte, a dona de casa recebe a visita de um desconhecido e pensa ser mais um credor. "Dívida?”, indaga a viúva de Júlio (Antonio Calloni). “Não… ao contrário… Carlos fez um seguro de vida em seu nome… ele nunca lhe disse?”, pergunta o engravatado.

“Eu sei que a ocasião não é das mais propícias… a senhora me desculpe, mas dada as circunstâncias de sua morte, nossa companhia se apressou em pagar… é só a senhora assinar aqui, por favor…”, sinaliza o representante da seguradora.

Lola lê atentamente o documento, assina e leva o visitante até a porta. Ao se despedir, a dona de casa lembra mais uma vez do filho prometendo que iria sempre cuidar dela e se emociona. “Clotilde… Ele sempre foi um bom filho, Clotilde… Ele sempre cuidou de mim…”, grita pela irmã. Clotilde (Simone Spoladore) olha o documento se se dá conta de que o valor será suficiente para quitar a casa da família.

“Carlos me disse que ia cuidar de mim, olhar por nós. Ele queria tanto quitar a casa… Clotilde, eu vou quitar, a casa será nossa, mas, meu Deus, a que preço… A que preço!”, avisa a mãe de Alfredo.

"Meu filho abandonou a faculdade que tanto sonhou, perambulou pelas ruas vendendo amostras de remédio… Vinha se esforçando tanto no guichê do banco. Juntava todos os tostões do salário para me ajudar”, lamenta Lola. A cena vai ao ar no capítulo do dia 08 de fevereiro.

Lola conclui compra da casa e homenageia filho

Éramos Seis: Lola ganha presente de Carlos, quita a casa e homenageia filho morto

Carlos morreu vítima de uma fatalidade e deixou de herança para a mãe o dinheiro de um seguro de vida que fez em nome da dona de casa. O não é suficiente para que a matriarca da família Lemos acabe de pagar pela casa onde eles moram. Nos próximos capítulos da trama, a dona de casa vai com Afonso (Cássio Gabus Mendes) à seguradora receber o benefício para em seguida ir ao banco quitar sua dívida.

“Vim pagar o que falta da casa financiada na avenida Angélica. Empréstimo em nome de Júlio Abílio de Lemos”, dirá a dona de casa a um funcionário que a deixa apreensiva. “Pelo que vejo a casa já devia ter sido quitada, a senhora não cumpriu o prazo”, alerta o caixa do banco.

“Renegociei a dívida, pagando juros altíssimos. Não estou devendo nenhum favor. Quero pagar o que resta e dar por encerrado esse empréstimo. Tenho dinheiro. Meu filho me deixou", responde Lola.

"Não me diga que não é suficiente. Aqui ó, tem muito dinheiro. E tem sangue, muito sangue, o sangue do meu filho!”, complementa a doceira já alterada enquanto lhe entrega um bolo de notas.

Para felicidade da dona de casa, o pagamento será concluído e finalmente ela estará livre deste tormento. Ainda muito emocionada, a mãe de Carlos abre seu coração para o dono da mercearia.

“Ah… Teve momentos que o que eu mais quis foi ter esse recibo na minha mão… e hoje eu digo, com sinceridade, custou tanto… que não representa mais nada… é como se eu não tivesse casa…”, exclama a doceira.

O pai de Inês não consegue se segurar e acaba dando um abraço em Lola. No caminho de volta para casa, Lola para em frente ao túmulo do filho e conversa com Carlos.

“Ia achar a data tão solene que ia querer uma comemoração, meu filho. Ia falar para eu colocar o recibo em um quadro, com uma moldura dourada para exibir na parede. Já registrei em cartório, meu filho, já está resolvido, sacramentado nos livros", afirma a irmã de Clotilde.

"E agradeço a você. A casa é nossa, que belo presente nos deu. O lugar desse recibo não é em um quadro, nem na parede, é aqui, a seu lado… Obrigada!”, complementa a doceira que coloca o recibo em cima do túmulo de Carlos e segue para casa amparada por Afonso. A cena vai ao ar no capítulo do dia 10 de fevereiro.

Mais Notícias