São vários

Os personagens esquecidos e sem função de A Dona do Pedaço

Muita gente do elenco da novela das nove acabou ficando sem história

Os personagens esquecidos e sem função de A Dona do Pedaço
Lyris e Eusébio são dois dos muitos personagens sem função em A Dona do Pedaço. Foto: Montagem

Publicado em 08/10/2019 às 06:54:13 ,
atualizado em 08/10/2019 às 10:23:43

Por: Daniel César

A Dona do Pedaço é uma novela com um número alto de personagens, como toda trama do horário nobre que se preze. Mas, assim como acontece costumeiramente também, a produção de Walcyr Carrasco com direção de núcleo de Amora Mautner foi deixando personagens pelo caminho e que agora parecem não ter mais função.

São muitos os personagens que, com o andar da história que se prepara para entrar em reta final, já que será substituída em novembro por Amor de Mãe, acabaram ficando aleatórios.

O NaTelinha preparou uma lista para relembrá-los. Confira:

João Gabriel D’Aleluia (Carlito)

O personagem, filho de Amadeu (Marcos Palmeira) e Gilda (Heloisa Jorge), tinha relativa função enquanto a mãe estava viva e tentava viver em família com o filho e o marido. Acontece que, a partir da morte de Gilda, Amadeu voltou a girar em torno de Maria da Paz (Juliana Paes) e Carlito praticamente desapareceu da novela e quando aparece é sempre em cenas sobre outros personagens.

O ator interpreta seu primeiro personagem no horário logo depois de ter ganhado fama como um dos protagonistas de Se eu Fechar os Olhos Agora, minissérie que foi indicada ao Emmy Internacional.

Rosane Gofman (Ellen)

A governanta de Maria da Paz sempre foi uma personagem orelha. Ellen ajudava a boleira e empresária a ter sua casa equilibrada e era quase parte da família da protagonista. Acontece que Maria perdeu tudo para a filha.

A partir deste momento, Ellen seguiu trabalhando para Josiane (Ágatha Moreira) e viu sua história de orelha ir morrendo aos poucos. Vale lembrar que a atriz está no ar com um papel semelhante em Por Amor, em que interpreta Tadinha, a empregada de Helena (Regina Duarte).

Deborah Evelyn (Lyris)

Lyris nasceu como uma personagem controladora e que tinha uma vida sexual frustrada, tentando fazer mil loucuras para conquistar o marido Agno (Malvino Salvador). A partir do momento que o homem resolveu assumir sua sexualidade e se divorciou virou só mãe.

É bem verdade que Lyris ainda precisa controlar e ajudar a filha Cássia (Mel Maia), que vem tendo várias histórias desenvolvidas, mesmo assim, acabou assumindo uma função quase única de orelha.

Rosamaria Murtinho (Linda)

Linda nunca foi exatamente uma personagem importante na história. Mesmo assim, foi desenvolvida com enredo próprio e chegou a ter certo destaque na narrativa desenvolvida por Walcyr Carrasco.

A psicóloga que chegou a insinuar que Josiane era uma psicopata, foi perdendo espaço e atualmente mal aparece e não há nada que sustente sua presença em cena.

Nathalia Timberg (Gladys)

Se no início Gladys foi fundamental para o desenvolvimento da narrativa, já que foi a primeira a empregar e a descobrir a gravidez de Maria da Paz, além de ser a mãe de Régis (Reynaldo Gianecchini), isso tudo ficou para trás.

Desde que A Dona do Pedaço passou a afunilar-se, a personagem não tem tanto espaço e, sem história própria, ficou sobrando em cena.

Rosi Campos (Dodo)

Uma das sem teto que invadiram um prédio no início da novela, a personagem começou como o alívio cômico de uma novela cheia de tiros e mortes. Com a segunda fase mais colorida e com Maria da Paz rica, a personagem não foi desenvolvida.

Dodo deixou de ter história própria e passou apenas a ser mãe de Rock (Caio Castro), com isso passou a ser mais uma que ganhou figuração de luxo.

Marco Nanini (Eusébio)

O mesmo se repete aqui. Marco Nanini foi um dos destaques da primeira fase do folhetim com seu Eusébio. E tendo sido a pessoa que teve a ideia de Maria da Paz vender seus bolos na rua, a um personagem esquecido, foram apenas alguns meses.

Vale lembrar que o último papel do ator, o rei Augustus em Deus Salve o Rei, chegou a sair da novela porque a sua história tinha acabado.

Tonico Pereira (Chico)

Praticamente todos os personagens desenvolvidos no núcleo dos sem teto tiveram o mesmo final. Ainda que A Dona do Pedaço não tenha acabado, suas histórias sim. O mesmo aconteceu com Chico.

Ainda que o personagem ganhe espaço em algumas cenas, ele está ali na cota dos que não interferem mais para o andamento da história.

Betty Faria (Cornélia)

Embora seja um dos autores que mais dá espaço para o elenco da terceira idade em suas novelas, dessa vez Walcyr Carrasco deixou muita gente como reles figurinha, como aconteceu com Betty Faria.

Ainda que, vira e mexe, a personagem ganhe certa movimentação com umas situações, nada do que ela faça interfere no andamento da história central ou de qualquer outro personagem.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!