Decisão da Justiça

Suzane Richthofen perde processo contra filmes sobre assassinato dos pais

Produtores dos longas foram acionados por Suzane

Suzane Richthofen perde processo contra filmes sobre assassinato dos pais
Suzane Richthofen e Carla Diaz - Foto: Montagem/Reprodução

Publicado em 11/03/2020 às 16:18:31 ,
atualizado em 11/03/2020 às 16:34:28

Por: Redação NT

Suzane Richthofen perdeu em primeira instância o processo que moveu na Justiça contra os produtores dos filmes que contam duas versões sobre o assassinato dos seus pais.

A ação foi considerada improcedente e já foi transitada em julgado. Os longas A Menina Que Matou os Pais e O Menino que Matou Meus Pais, baseados nos autos do processo do assassinato do casal Von Richthofen, trazem as versões apresentadas no tribunal por Suzane e Daniel Cravinhos.

No pedido, que correu em segredo de Justiça, Suzane fez a alegação de que não houve sua autorização para a produção dos filmes. O processo correu na Comarca de Angatuba, em São Paulo, e foi julgado improcedente pela juíza Larissa Gaspar Tunala.

Filmes conta duas versões do assassinato do casal Von Richthofen

Os dois filmes têm roteiro de Ilana Casoy (autora de Casos de Família: Arquivos Richthofen) e Raphael Montes. A produção é da Santa Rita Filmes em coprodução com a Galeria Distribuidora e o Grupo Telefilms.

O projeto tem em seu elenco alguns nomes já bem conhecidos pelo público, como Carla Diaz (Suzane), Leonardo Bittencourt (Daniel Cravinhos), Allan Souza Lima (Cristian Cravinhos) e Kauan Ceglio (Andreas von Richthofen).

A estreia oficial dos filmes está marcada para 2 de abril. A partir de 19 de março, o público poderá assistir antecipadamente às histórias em sequência, na mesma sessão, pelo preço de um ingresso.




publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!