"Guigo Offline", telefilme produzido para a TV Cultura, vence o Mix Brasil 2017

Divulgação

Publicado em 24/11/2017 às 11:55:29 ,
atualizado em 24/11/2017 às 12:11:48

Por: Taty Bruzzi

Desde o dia 15 de novembro acontece em São Paulo o 25º Festival Mix Brasil, dedicado a filmes que abordam a diversidade sexual e de gênero. Este ano, o evento homenageia o cineasta Gus Van Sant.

Conhecido por trabalhos como “Elefante”, “Milk - A Voz da Igualdade” e “Garotos de Programa”, o diretor norte-americano veio até o Brasil para participar da mostra e receber um prêmio por sua trajetória no cinema.

Para este ano, o Festival Mix Brasil contou com 159 títulos de 34 países. Produções inéditas e filmes que vão representar seus países na cerimônia do Oscar 2018, dentre eles o finlandês “Tom of Finland”, o norueguês “Thelma” e o sul-africano “Os Iniciados”, o festival termina no próximo fim de semana.

Entretanto, os vencedores foram anunciados na última quarta-feira, dia 22, e o grande vencedor foi “Guiggo Offline”, telefilme criado para a TV Cultura. Com direção de René Guerra, o drama fala sobre um adolescente que descobre a homossexualidade do pai durante uma viagem em família. Confira os vencedores!

Prêmios do júri para longa-metragem nacional

- Melhor filme: “Guigo Offline”, de René Guerra
- Melhor direção: Carolina Jabor, “Aos Teus Olhos”
- Melhor roteiro: Esmir Filho e Mariana Bastos, “Alguma Coisa Assim”
- Melhor interpretação: Caroline Abras, “Alguma Coisa Assim”
- Menções honrosas: “Meu Nome é Jacque” e “Serguei, O Último Psicodélico”

Prêmios do júri para curta-metragem nacional

- Melhor filme: “Afronte”, de Bruno Victor e Marcus Azevedo
- Melhor direção: Andréia Pires e Leonardo Mouramateus, “Vando Vulgo Vedita”
- Melhor roteiro: Paulo Roberto, “Stanley”
- Melhor interpretação: Gilda Nomacce, “Minha Única Terra é na Lua”
- Menção honrosa: “Estamos Todos Aqui”, de Chico Santos e Rafael Mellim

Prêmios do público

- Melhor longa-metragem nacional: “Luana Muniz - Filha da Lua”, de Rian Córdova e Leonardo Menezes
- Melhor longa-metragem internacional: “Close- Knit”, de Naoko Ogigami.
- Melhor curta-metragem nacional: “Estamos Todos Aqui”, de Chico Santos e Rafael Mellim
- Melhor curta-metragem internacional: “Mario, Kike e David”, de Miguel Lafuente

Prêmios especiais

- Prêmio Ícone Mix: Gus Van Sant
- Prêmio Suzy Capó: Peça "Desmesura", do Grupo Teatro Kunyn
- Prêmio Mix HIV: “Meu Nome é Jacque”, de Ângela Zoé
- Prêmio Canal Brasil de curtas: “Dandara”, de Flávia Ayer e Fred Bottrel
- Prêmio SescTV: “Vaca Profana”, de René Guerra
- Prêmio Show do Gongo: “Confessions”, de Rafael Spinelli
- Prêmio Ida Feldman: Maria Clara Spinelli



TAGS:

LEIA MAIS

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!

publicidade