Agressão

Ator apanha em ônibus e acusa motorista de homofobia

Marcello Santanna registrou queixa contra o motorista

Ator apanha em ônibus e acusa motorista de homofobia
Marcelo Santanna denunciou homofobia em ônibus de São Paulo. Foto: Divulgação

Publicado em 09/09/2019 às 21:50:12

Por: Redação NT

O ator Marcello Santanna registrou Boletim de Ocorrência contra o motorista de uma lotação na cidade de São Paulo. Com o rosto muito machucado, o jovem de 23 anos afirmou que foi agredido pelo profissional num crime de homofobia.

Mesmo já tendo essa idade, Marcello ainda não é conhecido do grande público e seu caso quase passou desapercebido pela grande mídia que começou a divulgar o tema apenas nesta segunda-feira (09). A denúncia nas redes sociais aconteceu no último sábado (07), horas depois do artista ter sido agredido por um motorista da SPTrans.

Segundo o relato do jovem, tudo aconteceu porque ele e um amigo estavam trocando beijos dentro do veículo. "Estava voltando de um rolê, e fui agredido por um motorista de ônibus pelo simples fato de estar com um rapaz. Ele estava cuidando de mim, que meu nariz tinha começado a sangrar e depois demos alguns selinhos. O motorista então, parou a lotação e aos gritos pediu pra que saíssemos da lotação. Me recusei, disse que tinha pago e perguntei qual seria o motivo pra gente sair. Ele então, levantou e na mesma hora resolvi não criar uma discussão e me despedi desse rapaz e da minha prima. Ao descer, levantei as mãos e disse “tá tudo bem, eu vou embora”, ele já veio nos socos, sem ao menos em nem ter tempo pra terminar de falar. O rapaz e minha prima desceram pra me socorrer, o motorista entrou na lotação e foi embora", escreveu em seu perfil pessoal no Facebook.

Após ter sido violentamente agredido, o jovem acabou denunciando o caso na 53ª Delegacia de Polícia de São Paulo e o delegado Guilherme Leonel já localizou o motorista que teria ido depor voluntariamente. No depoimento, o profissional teria afirmado que o rapaz ficou o xingando e provocando os demais passageiros e confirmou as agressões. Por não haver flagrante, ele foi liberado.

Vale lembrar que a SPTrans soltou nota confirmando o caso e afirmando que já denunciou o caso para a empresa terceirizada pela linha onde ocorreu o caso para que identifique o motorista e tome as medidas cabíveis. Segundo o Buzzfeed Brasil, a empresa responsável é a Pêssego Transportes que teria afirmado que não tomou nenhuma providência porque os fatos ainda estão sendo apurados.

O caso aconteceu no mesmo momento em que, no Rio de Janeiro, o prefeito Marcelo Crivella tentou censurar um livro justamente por conter um beijo gay e recebeu forte crítica, inclusive da classe artística, como a atriz Regina Duarte que, mesmo sendo considerada conservadora, pediu liberdade às minorias.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!