Reportar erro
Pior edição

Com participantes improdutivos no jogo, "BBB19" tem a temporada mais flopada da história

Edição é considerada por muitos, a pior de todos os tempos

BBB19
Tiago Leifert tentou, mas nenhum discurso salvará edição de ser considerada a pior da história - Foto: Reprodução
Laís Lubrani

Publicado em 15/02/2019 às 14:15:00

Na noite desta quinta-feira (14), Tiago Leifert se posicionou a respeito dos diversos comentários que os participantes têm feito dentro da casa, na 19ª edição do "Big Brother Brasil". O reality está de fato causando muita polêmica. E não há surpresa.

Quando o perfil dos participantes foi anunciado, com tamanha diferença em classe social e política, estava óbvio que situações polêmicas existiriam. Bingo! A casa realmente mostrou ao que veio.

Sem conflitos significativos, a edição mostra os brothers como verdadeiros protagonistas de discriminação religiosa e racial. É o caso de Maycon e Paula, por exemplo.

Durante festa, o vendedor de queijos, que já afirmou ter colocado bombinhas no rabo de um gato quando era criança, não suportou ver Rodrigo e Gabriela lado a lado cantando uma música que evidenciava a raça negra, e já soltou que tinha ouvido uma voz que lhe dizia para não fazer igual. Paula - a rainha da intolerância - disse que cabelo crespo e ruim e afirmou ter medo das religiões africanas: "Nosso Deus é maior".

Assuntos como cotas e humor negro também jamais estiveram na boca dos participantes e foram colocados de forma equivocada, o que deixou claro a falta de conhecimento dos participantes. Por essas e outras, expressões como "Paula Racista" e "BBB protege racista" estiveram em destaque. O reality não completou nem um mês no ar e não tem outro jeito: para ligar a TV nesse programa é necessário entender que as pessoas selecionadas não tem o mínimo de empatia pelo outro. E pelo visto, a Globo também não.

Além desses fatos, o jogo também está fraco. Acredito que, na ânsia de mostrar as opiniões e da emissora não saber segurar a batata quente, pouco soube diversificar para deixar tudo mais interessante. A extinção da prova da comida e o big fone mal aproveitado são exemplos. A Globo não está sabendo lidar com a audiência em frangalhos e com a chuva de críticas (essa é só mais uma).

Essa é, a primeira temporada do reality em que muito se refletiu sobre caráter, preconceito, discriminação e intolerância. E que também deixa notável que nenhum dos moradores da casa faz muito para merecer uma torcida.

A discussão sobre racismo e intolerância é feita quase que de forma diária, deixando o programa com conteúdo único. Assim, se não forem expulsos pelas opiniões, os brothers serão eliminados por não conseguirem jogar e por assim protagonizarem a pior edição nesses 19 anos.

Leifert disse que o melhor caminho é o diálogo. Mas nesse primeiro mês de exibição já conseguimos perceber que falta mais do que uma boa conversa. Falta jogo. Por parte dos participantes, aquele trivial. Por parte da dona Globo, o bom e velho jogo de cintura.

Não vai dar pra acompanhar mais dois meses nessa omissão. Já passou da hora da emissora meter a colher e ensinar como se faz. Em todos os sentidos. Se não for assim, que desistam da vigésima edição. E dessa também. Eu já joguei a toalha.

TAGS:
Mais Notícias