Chegou o dia

De volta em "A Fazenda", Marcos Mion lamenta ficar seis meses fora do ar: "É difícil"

"A Fazenda 11" estreia nesta terça-feira (17), na Record

De volta em
Marcos Mion vai para seu segundo ano à frente de "A Fazenda" - Foto: Antonio Chahestian/Record

Publicado em 17/09/2019 às 04:00:18

Por: Michele Marreira

A partir desta terça-feira (17), o reality show “A Fazenda” está de volta à programação da Record. Em sua 11ª edição, a atração contará com 16 personalidades, que só serão confirmadas durante a estreia. Entretanto, os nomes já circulam pela imprensa e entre eles devem estar Andréa de Nóbrega, Hariany, Diego Grossi, Arícia Silva, Rodrigo Phavanello, Tati Dias e Bifão, essas duas últimas vindas do "De Férias com o Ex", da MTV.

Os participantes ficarão confinados por três meses numa ampla casa em Itapecerica da Serra, na Grande SP. De contrato renovado e mais à vontade, Marcos Mion chega para seu segundo ano na apresentação e explica como imprimiu seu estilo na atração: “Sou um cara que tenho meus bordões, brincadeiras e gírias, o quanto isso cabia nesse formato”.

Curiosidades

Fará parte das novidades dessa edição a volta da lhama acompanhada de um filhote. Ainda mais conectado, o programa contará com uma live transmitida em todas as redes sociais da atração, logo após cada eliminação. A apresentação ficará por conta do humorista Lucas Salles, ao lado dos youtubers Tati e Marcelo, do canal WebTVBrasileira. Além disso, o ex-participante do último “Power Couple Brasil” promoverá no YouTube de “A Fazenda” o quadro “Museu de Memes”.

Já na “Cabine de Descompressão”, Mion fará a primeira entrevista com o eliminado da semana logo após sua saída do confinamento. O conteúdo será transmitido ao vivo no PlayPlus, que contará também com o registro dos bastidores e reflexões no “Diário do Mion”.

A disputa está ainda mais acirrada pelo prêmio de R$ 2 milhões, sendo R$ 1,5 milhão para o campeão e R$ 500 mil distribuídos ao longo do jogo em provas especiais. O público poderá votar e salvar seu peão favorito da Roça.

Nova fase

Completando 20 anos de carreira e 40 de idade, Marcos Mion celebra sua consolidação como apresentador de TV, que teve início nos anos 2000, na antiga MTV.

Sua chegada à Record se deu em 2009, sendo que em abril do ano seguinte, estreava o programa “Legendários”, que permaneceu na grade da emissora até o final de 2017. “Foi uma decisão em conjunto, já sabia que isso iria acontecer. Tivemos uma história fantástica com o programa, tenho muito orgulho”, enfatiza. Apesar de triste com o término, ele reconhece o desgaste que a atração vinha sofrendo nos últimos tempos.

Em seu novo momento profissional, Marcos Mion empresta sua versatilidade em “A Fazenda 11”. Nesse bate-papo, o apresentador conta curiosidades sobre o reality show.

Confira:

Já sente-se adaptado em sua segunda temporada à frente de “A Fazenda”?

Marcos Mion - Sim. Eu cheguei num programa que já existia, não participei da criação dele. Diferente de como estou acostumado a trabalhar, meus programas sempre foram autorais. Cheguei humilde, buscando meu lugar, até onde eu podia ir. O quanto eu imprimiria do meu próprio estilo. Sou um cara que tenho meus bordões, brincadeiras e gírias, o quanto isso cabia nesse formato. Hoje já tenho essa propriedade. Eu mudei algumas coisas, porque apresentei programa de auditório a vida inteira! Recebo as pessoas no meu palco como se fosse a minha casa, são bem tratados. É como eu ajo aqui. A indicação inicial é que eu não tivesse contato com os participantes [antes das provas]. Era uma regra. Sempre teve uma distância muito grande do apresentador com os participantes. Na hora das provas eu tinha que ficar no meu set e só me comunicar com eles na hora de começar, para não ter nenhum tipo de ralação. Eu não consigo ser assim... Eles chegam eu abraço, beijo, dou boas vindas. É dessa forma que as coisas devem ser feitas. Tenho o maior respeito por todos que se sujeitam estar nessa loucura.

Você pensa em um novo projeto dentro da emissora?

Marcos Mion - Meu foco é totalmente aqui. Meu contrato foi renovado para mais três temporadas de “A Fazenda”. Na época, foram fechadas 10 temporadas e, por conta do sucesso, renovaram. Sou grato por todo que fiz na Record. Tenho inúmeros trabalhos que realizo em minha vida, mas o meu projeto de televisão é esse. Não é fácil passar seis meses longe da TV, para quem está desde os 18 anos, acostumado estar no ar todos os dias ou pelo menos toda semana. A parte boa foi me dedicar a outros projetos: musical (Zorro), livro, as empresas, todos os demais negócios que eu toco. Pude viajar, coisa que eu não fazia há um bom tempo. Psicologicamente, é muito difícil ficar seis meses fora do ar. Fico com saudade. Sou um cara que trabalha, não sou o apresentador que só lê TP ou apresenta.

E você, participaria de um reality como “A Fazenda”?

Marcos Mion - Eu não consigo ficar um dia longe dos meus filhos, imagina três meses. Ficaria maluco, pularia o muro (risos). Se fosse no início da minha carreira, há 20 anos, dos tempos da MTV, a minha “Fazenda” teria entrado para a história!

Qual seu look para apresentar o programa?

Marcos Mion - É um visual diferente do “Legendários”, que era um cabelo maior e mais bagunçado. Quando vai se aproximando dessa época, faço um corte de apresentador de “A Fazenda”. Eu tenho minha figurinista, a Helô, que trabalha há muito tempo comigo. Coloco calça e camisa jeans, tem todo um conceito por trás, ela desenvolve um trabalho grande de pesquisa. Precisa ser adaptado ao meu estilo. Não dá para chegar com uma camisa xadrez, uma fivela, um chapéu de cowboy e um colete. Já vi acontecer, dava muita risada em casa (risos).

Já se acostumou com o fim do programa “Legendários”?

Marcos Mion - O fim do “Legendários” foi uma decisão em conjunto, já sabia que isso iria acontecer. Tivemos uma história fantástica com o programa, tenho muito orgulho, todo mundo quer que volte inclusive a direção da Record! Muitos artistas fazem TBT do “Legendários”, é impressionante o carinho. A equipe de 60 pessoas foi realocada. Sinto falta, foram oito anos convivendo diariamente. Foi difícil não estar no ar, não ter o meu microfone. Muitas coisas que aconteceram nesses meses eu queria me posicionar, falar e não tinha mais o meu veículo. Sempre conversamos sobre a possibilidade de voltar, porém, naquele momento, ele estava desgastado. Não estava mais rendendo comercialmente como deveria. A troca do dia de exibição foi uma tentativa de mantê-lo no ar e trazermos mais anunciantes. Tem um mito na TV que anunciante só vai até sexta-feira, sábado e domingo é mais difícil... Não necessariamente. O programa era um enorme sucesso comercial e começou a minguar no sábado, com a troca funcionou, mas não o suficiente para seguirmos com ele. A emissora já estava tirando os programas de auditório, focando nos realities, jornalismo e teledramaturgia.

É verdade que você criou um projeto de talk show?

Marcos Mion - Eu criei um projeto, mas não era talk show. Não quero falar senão vão querer copiar. É uma ideia diferente. A Record gostou da proposta, comprou, montamos uma equipe para criar esse programa. A direção adorou a minha apresentação, falaram que nós iríamos fazê-lo. Entreguei pronto. Talvez eles estejam guardando para o ano que vem...


Siga o NaTelinha nas redes sociais

Reportar erro

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!