Reportar erro
Isolamento social

Final do Paulistão entre Palmeiras e Corinthians tem tudo para quebrar recorde de 2018

Palmeiras e Corinthians fazem a final do Campeonato Paulista 2020

Tiago Nunes e Vanderlei Luxemburgo
Tiago Nunes e Vanderlei Luxemburgo estarão frente a frente na final do Paulistão
Thiago Forato

Publicado em 05/08/2020 às 05:17:44

Deu a final que a Globo queria. Palmeiras e Corinthians, maior clássico de São Paulo, fazem a decisão do Campeonato Paulista. A primeira partida acontece nesta quarta-feira (5), às 21h30, enquanto a segunda está marcada logo para o próximo sábado (8), a partir das 16h30.

Neste século, é apenas a segunda vez que as duas equipes se enfrentam na final. A outra havia sido em 2018 [e antes, em 1999], o que rendeu à Globo uma audiência de 35 pontos de média numa tarde de sábado e impressionantes 42 pontos na decisão por pênaltis, em um domingo.

Com a volta do futebol há pouco mais de 10 dias, o segmento tem alcançado grande audiência. O mesmo clássico em 22 de julho, que marcou esse retorno ainda na fase de grupos, anotou 30 pontos de média, maior pontuação desde a final entre Corinthians e São Paulo no Paulistão 2019.

Até mesmo a decisão entre Flamengo e Fluminense deu ao SBT a liderança no ranking do Ibope no Rio de Janeiro. Ou seja, ainda que a temperatura no estádio não esteja tão quente por conta da falta de torcida, é fato que ela não deixou de prestigiar seu clube. Ou secar o rival.

Promessa de quebra de recordes

Por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a expectativa é que a final do Paulistão 2020 quebre recordes. Afinal de contas, aglomerações, pelo menos em tese, ainda está fora de cogitação na Grande São Paulo, apesar da recente política de flexibilização no Plano SP, em vigor desde 1º de junho.

Cada um no seu quadrado, a tendência é de números ainda mais animadores nesta reta final, reunindo justamente os dois maiores rivais da capital paulista.

Desta vez, a experiência de uma finalíssima ocorrendo em um sábado, como já houve no passado e acontece tradicionalmente na Europa nas decisões mais importantes, devem fazer os índices ferverem ainda mais.

Mais Notícias