Reportar erro
CNN Brasil

Daniela Lima rebate Alexandre Garcia sobre cloroquina: "Não é chavão"

Apresentadora retrucou colega recém-contratado por canal pago; veja vídeo

Daniela Lima e Alexandre Garcia
Daniela Lima e Alexandre Garcia (Foto: Montagem/Reprodução/CNN Brasil)
Paulo Pacheco

Publicado em 29/07/2020 às 21:32:24

 

O comentário de Alexandre Garcia na CNN Brasil sobre coronavírus gerou reação negativa dentro do próprio canal pago. Durante o telejornal CNN 360, nesta quarta-feira (29), a apresentadora Daniela Lima rebateu o colega, recém-contratado pela emissora, que havia criticado a cobertura da pandemia pela imprensa.

"O sujeito parece que vai para a Lua, para Marte, para usar aquele chavão, aquele carimbo, aquele rótulo que estão mandando. Alguém está mandando todo repórter dizer que 'não tem comprovação científica'. Todos os nossos amigos que foram tratados precocemente, todos estão curados. Todos passaram pela Covid-19 em dois, três dias, mas 'não tem comprovação científica'. Acho que é um pouco de teimosia que nos faz perder a credibilidade", afirmou o jornalista no programa Liberdade de Opinião.

Daniela Lima restabeleceu a verdade no telejornal que comanda ao lado de Carol Nogueira: "Dizem que é chavão aqui, né, mas não é chavão, é informação com respeito ao público. Cloroquina, hidroxicloroquina não têm eficácia científica no tratamento do novo coronavírus".

Durante a estreia do Liberdade de Opinião (anteriormente anunciado como Liberdade de Expressão), na última segunda, Alexandre Garcia comentou uma fala do apresentador Rafael Colombo, que disse que Bolsonaro mostrou a caixa de hidroxicloroquina afirmando estar recuperado da Covid-19.

"Você mencionou que Bolsonaro mostrou a caixinha de hidroxicloroquina. Em todo noticiário que ouvi, o meu colega repórter diz assim: 'Mostrou a caixa de hidroxicloroquina, que não tem comprovação científica', e o cara está na frente do presidente, que é a comprovação científica de que o uso da hidroxicloroquina dá certo", falou o jornalista.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) encerrou os estudos sobre a eficácia da hidroxicloroquina no tratamento do coronavírus por não conseguir demonstrar benefícios do medicamento em pacientes. Entretanto, o presidente ordenou a produção da substância pelo Exército, e o Ministério Público pediu ao TCU (Tribunal de Contas da União) um suposto superfaturamento da fabricação.

Mais Notícias