Entrevista

Luciana Gimenez elege o seu programa predileto e garante: “Sou super ligada ao Ibope”

Apresentadora teve de escolher entre o "Superpop" e o "Luciana by Night"

Luciana Gimenez elege o seu programa predileto e garante: “Sou super ligada ao Ibope”
Luciana Gimenez apresenta há 18 anos o "Superpop". Foto: Divulgação/RedeTV!

Daniel César
i

Daniel César

Daniel César é jornalista formado, pós-graduado em linguística e em roteiro de televisão, com mestrado em Literatura. Trabalha com o universo da televisão desde 2010 e já fez cursos de dramaturgia com nomes como Carlos Lombardi e Thelma Guedes.

Publicado em 17/06/2019 às 04:50:33 Atualizado em 17/06/2019 às 10:29:34

Modelo, empresária e apresentadora. Tamanha versatilidade transformou Luciana Gimenez numa das principais comunicadoras do país. Ela, que vive grande fase e completa 18 anos conduzindo o “Superpop” na RedeTV!, ganhou em 2012 um talk show, o “Luciana By Night”, e tem feito bonito na audiência.  Luciana fala de seu atual momento na carreira com exclusividade para o NaTelinha.

O trabalho da apresentadora surtiu efeito, tanto que o "Luciana By Night" fechou os últimos três meses à frente da Band e, em todas as edições, consolidou com audiência acima dos 2 pontos de média - considerada boa pela emissora. Em um comparativo com o mesmo período em 2018, o talk show chegou a aumentar os números da Kantar Ibope em 35%. Luciana afirma que acompanha o tempo todo o desempenho de seus programas, mas tenta aliar dados sólidos com qualidade.

“Eu sou super ligada no Ibope, mas também sou ligada na qualidade dos programas. Às vezes, você pode fazer um programa maravilhoso, de qualidade e depende muito do que acontece na outra emissora também. Pode ser que tenha uma final de futebol, por exemplo. Então você tem que ter um pouco de tudo, tem que estar ligado no Ibope, mas também na qualidade do programa que você entrega”, afirma. Assim como o "Luciana By Night", o "Superpop" também ocupa a quarta posição no ranking de audiência, superando a programação da Band.

O programa está à frente da concorrente desde fevereiro, registrando curva para cima comparado aos últimos dois meses. Vale ressaltar que, nas edições de quarta-feira, a atração se consolidou acima dos 3 pontos de média, resultado muito comemorado na RedeTV!.

E a ex-modelo ainda surpreende quem acredita que ela seja adepta às comemorações. Embora poste diversas fotos em eventos e festas, Gimenez garante que não gosta muito de homenagens ou de falar de si mesma. Como o “Superpop” completa 20 anos em 2019 (entre 1999 e 2001, o programa foi apresentado por Adriane Galisteu), ela foi questionada sobre a chance de haver uma edição comemorativa ou alguma espécie de festa e homenagem.

“Eu faço o que eu gosto. Acho que quando a gente faz o que gosta, realmente fica mais fácil. Eu amo fazer o 'SuperPop', adoro fazer programa ao vivo e, não sei, nunca fui muito de comemoração, não. Acho que essa coisa de muita comemoração, fazer homenagem, acho que fico meio sem graça. Não gosto de falar de mim mesma, me dá um pouco de timidez (risos). Mas, poxa, 20 anos, nem parece, hein. Que loucura (risos)!”, disse.

Ela também não foge da responsabilidade quando questionada sobre o desafio de fazer o “Luciana by Night”. Num momento em que o Brasil parece saturado de talk show, a apresentadora discorda de quem acredita que ela faz mais do mesmo. Neste ponto, Luciana chega a dar uma leve alfinetada no fato de que praticamente todos os programas de entrevistas na TV brasileira são comandados por homens e explica como trabalha na busca pelo tom diferenciado.

“Olha, talk show, à noite, do tipo do 'Luciana by Night', só tem o nosso mesmo porque os outros, normalmente, são os homens [que apresentam] e alguns também são mais ligados ao stand up comedy. O que eu busco, na realidade, é qualidade de entrevista; pessoas que tenham algo a acrescentar, a dizer; a intimidade dos convidados também, porque sou uma pessoa que gosta de entrar no íntimo das pessoas; tem que ser um programa leve, divertido, que todos tenham entretenimento e acho que uma coisa que conta muito é a minha maneira de ser, minha espontaneidade. A personalidade do convidado conta bastante para o diferencial também", explica.

Desenvolta e conhecendo boa parte das celebridades brasileiras, ela nega que tenha qualquer problema na escolha de personagens para as entrevistas no talk show. Ao contrário, garante que o único problema é por conta das restrições de algumas emissoras, mas que ela tem tirado de letra.

“Nunca tivemos problemas com convidados. Claro que há algumas restrições das outras emissoras, mas me sinto muito querida, as pessoas vêm, gostam de vir no meu programa, nunca tive problema", garante.

Mas nem tudo são flores. Com tantas edições do “Luciana by Night” já exibidos, Luciana Gimenez foi questionada sobre personagens que se recusaram a gravar o talk show. Com seu jeito positivista, a apresentadora é taxativa ao afirmar que não gosta de gastar seu tempo com esse tipo de recusa.

“Gostaria de entrevistar o Elon Musk porque eu adoraria ir para Marte, ou pelo menos mandar uma galera para lá, para ficar por lá mesmo (risos). E se eu já procurei alguém para entrevistar e recebi não, ah, acho que devo ter recebido algum não, mas nada que eu ache interessante comentar, até porque eu acho mais interessante comentar as entrevistas que eu tenha feito, né, porque é muito mais legal isso do que as que eu não fiz”, crava.

E com tantos anos de carreira, Luciana parece ser apaixonada por seu trabalho. Embora tenha realizado um sonho ao conseguir autorização para produzir seu próprio talk show, ela não deixa dúvidas sobre qual dos dois programas prefere apresentar.

“Então, eu gosto dos dois, mas, assim, eu tenho uma preferência por fazer programa ao vivo. Eu amo os dois, mas a adrenalina do ao vivo é imbatível", aponta.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!