Exclusivo

BA: Eventos em uma semana e troca de acusações: como Globo e Record vivem guerra

Divulgação

Publicado em 20/02/2019 às 00:00:03 ,
atualizado em 20/02/2019 às 00:34:49

Por: Gabriel Vaquer

A TV Bahia, afiliada da Globo em Salvador, e a Record TV Itapoan, filial da emissora paulista na Bahia, tiveram uma última semana quente, com dois eventos para o mercado, troca de falas entre diretores e apresentadores e apresentações de números de audiência que mostram liderança para todos os lados. Nos dois eventos, o NaTelinha esteve presente.

O primeiro foi realizado pela TV Bahia, na terça da semana passada (12), em sua sede. Foi uma espécie de happy hour, com comida e um bate papo informal sobre a atual situação da emissora, que investiu muito em jornalismo em 2018.

Entre estes investimentos, estão a chegada de um novo diretor de jornalismo (Eurico Meira da Costa, vindo de Santa Catarina), a contratação de Jéssica Senra, líder nas manhãs da Record TV, além da mudança na linha editorial do "Bahia Meio Dia", telejornal da hora do almoço, apostando mais no serviço.

Os princípios editoriais que nos regem não são nossos, é da Globo. Não mostramos cadáveres, corpos ensanguentados, pessoas entubadas. Não ficamos explorando até as pessoas chorarem.

João Gomes

Este evento começou com a apresentação dos números de audiência da emissora no interior, onde mostrou ser muito forte, e posteriormente foi falado da situação em Salvador, onde o canal admitiu que a concorrência aumentou.

Segundo apresentou a TV Bahia, em 2018, a emissora liderou em 66% dos minutos em 2018. Na média, das 7h às 0h, a TV Bahia/Globo marcou em todo o ano, 14,2 pontos, contra 10,2 da RecordTV Itapoan.

Também segundo a emissora, com exceção do "Globo Esporte BA", todos os seus jornais e programas jornalísticos foram líderes de audiência em 2018. O que mais teve Ibope foi o noturno "BATV", que fechou com 23,1, segundo a emissora.

Mas o que deu bastante repercussão foram as falas dos diretores. Frequentemente, a TV Bahia/Globo é acusada de fazer um jornalismo ameno, sem mostrar de fato a realidade de Salvador. João Gomes, diretor executivo da Rede Bahia, disse que prefere "perder ganhando".

"O mais importante para a gente é saber se estamos oferecendo um conteúdo de qualidade, ouvindo todos os lados, dando espaço e voz para interatividade, se estamos respeitando o telespectador e as famílias que estão dentro de casa. Os princípios editoriais que nos regem não são nossos, é da Globo. Não mostramos cadáveres, corpos ensanguentados, pessoas entubadas. Não ficamos explorando até as pessoas chorarem, não prestamos assistencialismo para resolver aquela situação, porém cobramos do poder público, da iniciativa privada e do cidadão, que é o nosso papel enquanto imprensa. Não vamos ficar no nervosismo do minuto a minuto", disse o executivo.

Uma semana depois, nesta terça-feira (19), a Record TV Itapoan realizou seu evento para mostrar sua liderança. O tom foi mais formal, com presença do mercado publicitário e uma palestra sobre consumo de uma executiva do Kantar Ibope Media, que mede a audiência da TV.

Nos números divulgados pela RecordTV Itapoan, o canal confirma os números de 7h às 0h divulgados pela TV Bahia/Globo, mas diz que é líder no Ibope na faixa da manhã e da tarde, de domingo a domingo. Nessa métrica, das 7h às 11h59, o canal marca 9,2 a 7,7, e nas tardes, das 12h às 18h, fecha com 13,6 a 12,2.

Além disso, o canal diz que três de seus jornais - "Balanço Geral BA Manhã", "Bahia no Ar" e "Balanço Geral BA" - são líderes há algum tempo. Já outros, como o "Cidade Alerta BA" e o "BA Record", conseguem ser líderes de forma eventual, além de atrações nacionais, como o "Fala Brasil" e a novela "Bela, A Feia".

Logo na abertura do evento, Fábio Tucilho, diretor geral da RecordTV Itapoan, falou sobre a liderança divulgada pela TV Bahia/Globo: " Sempre falam que são líder, os números mostram outra coisa.Quando vamos para o embate, para o confronto, nós somos primeiro lugar. Nós estamos na frente o tempo todo. Somos os verdadeiros líderes".
Em conversa após o evento ao NaTelinha, ele explicou que achou deselegante a fala dos executivos: "É tão deselegante falar da concorrência. Eu estou preocupado com o meu, com a Record, em trabalhar para melhorar. Eles dizem que estamos apelando, mas quando falam isso, logo vejo que é gente que não assiste nossa programação".

As respostas mais acaloradas, no entanto, vieram do apresentador José Eduardo, âncora do " Balanço Geral BA". Já em seu programa, ele havia respondido as falas de João Gomes, lhe chamando de "João Pinnochio", tanto nas redes sociais, quanto em seu programa, que é primeiro lugar no Ibope.

Já para o NaTelinha , José Eduardo não poupou palavras ao falar da situação da TV Bahia/Globo. "Isso é uma mentira. Esse discurso parte de um mentiroso. É blefe para enganar acionista. Eles não parte para a violência, e nem a gente parte. A gente mostra o que está acontecendo. Eu não vou deixar de mostrar uma empresa sendo assaltada. O 'Jornal Nacional' abre assim, o 'Jornal Hoje' abre assim, o jornal local deles de SP abre assim. Então eles são os bonitinhos? A gente mostra a realidade. Eles que um tempo atrás mostraram um corpo. O perfil da Record é completamente diferente. Eles precisam aceitar a derrota, a mudança de hábito", disse o apresentador.

"Eu respondo no ar porque eu não aguento ver tanta hipocrisia. A gente aceitava ser segundo lugar, brigando com o SBT, mas aceitando virgula. Brigando, contratando, dispensando, acertando, errando... Eles vem para uma reunião com meia dúzia de pessoas e começam a mentir? O problema de lá não está na redação, é mais alto. São pessoas que não sabem o gosto do baiano. Meteram três gaúchos que não sabem fazer jornalismo para a Bahia, e querem fazer jornalismo popular para a Bahia, mas não vai conseguir, porque o baiano não entende a língua que eles falam. É simples. Mas sobre falar no ar: tem horas que eu passo do limite mesmo", concluiu José Eduardo.

Em 2019, a briga em Salvador promete novas e fortes emoções.  A TV Bahia/Globo aumentou seu horário local e cancelou definitivamente o "Bem Estar" para a capital baiana, para se ter mais tempo de produção local. Já a RecordTV Itapoan, por ora, quer manter o que conquistou, mas tem algumas arestas a resolver, como a titularidade do noturno "BA Record", sem apresentadora fixa desde a dispensa de Patrícia Abreu. Atualmente, Laís Cavalcante comanda o telejornal.


publicidade

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!