Reportar erro
Audiência

Em dois anos, "Fofocalizando" cresce mas ainda não tira segundo lugar da Record TV

"Fofocalizando" completa dois anos nesta quarta-feira (23)

Elenco do Fofocalizando vestido de branco
Foto: Lourival Ribeiro/SBT
Sandro Nascimento

Publicado em 23/01/2019 às 06:00:52

Nesta quarta-feira (23), o programa idealizado por Silvio Santos para ser a versão da "Hora da Venenosa" no SBT, "Fofocalizando", completa dois anos no ar.

Nos últimos 24 meses, de acordo com números da Kantar Ibope obtidos pelo NaTelinha, o vespertino que debate as principais notícias do mundo dos famosos cresceu sua participação na audiência na Grande São Paulo e no PNT (média das 15 principais praças no país). mas ainda não foi capaz de tirar o segundo lugar da Record TV.

A atração comandada por Leão Lobo, Mamma Bruschetta, Leo Dias, Lívia Andrade, Décio Piccinini e Gabriel Cartolano fechou 2018 com 6,1 pontos na capital paulista, representando um crescimento de 14% em comparação a 2017, quando alcançou média de 5,4.

Porém, as reprises das novelas da Record TV ficaram à frente do programa de fofocas do SBT por uma diferença de apenas um décimo no ano passado, ou 0,04%, atingindo 6,2 pontos - o que significa 8% a menor que 2017.

Em seu primeiro ano de exibição, a diferença do "Fofocalizando" para os folhetins da concorrente foi de 1,3 ponto, no período em que se confrontaram diretamente.

Em 2018, a Globo se manteve líder na preferência dos telespectadores com 11,8 pontos de média, o que equivale a um aumento de 6,31% no comparativo com 2017 na faixa das 15h.

Ainda de acordo com os números aferidos pela Kantar Ibope na Grande São Paulo, a maior média mensal nos dois anos do "Fofocalizando" foi alcançada em setembro de 2018, quando marcou 6,7 pontos contra 6,3 da Record TV.

Diferente de 2017, quando fechou todos os meses em terceiro lugar, no ano passado a atração do SBT venceu 50% dos confrontos com sua principal concorrente em São Paulo.

Já em 2019, considerando até o programa exibido na última sexta-feira (18), as tramas da Record TV e o "Fofocalizando" estão empatados com 5,8 pontos.

Painel Nacional de Televisão

Analisando os índices das 15 principais praças do país, o chamado Painel Nacional de Televisão (PNT),a diferença entre Record TV e "Fofocalizando" também caiu desde a estreia do programa.

A atração vespertina do SBT encerrou 2018 com uma média de 6,1 pontos, 9% a mais que em 2017 e apenas 0,4 pontos atrás da Record TV. Repetindo um comportamento dos domicílios da Grande São Paulo, essa diferença entre as duas emissoras já foi de 2,8 pontos no mês de estreia do "Fofocalizando". Porém, mesmo com essa queda,o programa ainda não foi capaz de tirar o segundo lugar da Record TV nos últimos 24 meses.

Na média nacional, as reprises do canal de Edir Macedo tiveram um desempenho 11% menor em comparação a 2017, atingindo 6,5 pontos no ano recém-findado. A Globo se manteve líder na faixa de exibição do "Fofocalizando" nos dois últimos anos, pontuado 12,6 pontos em ambos.

No Painel Nacional de Televisão, o recorde do programa dos famosos do SBT ocorreu em maio de 2018, com 6,5 pontos.

Fofocalizando

Completando dois anos no ar, o "Fofocalizando" é uma releitura do "Fofocando", que foi exibido pelo SBT entre agosto e dezembro de 2016.

Com direção de Márcio Esquilo, a atração trouxe diversas exclusivas, lideradas por Leo Dias, que pautaram os veículos de comunicação nos últimos anos, dentre eles: o fim do namoro de Bruna Marquezine e Neymar, o fim do casamento de Luciana Gimenez e Marcelo de Carvalho e a prisão do ator Dado Dolabella, além de uma extensa cobertura no entrevero entre Wesley Safadão e sua ex-mulher Mileide Mihaile pela aumento da pensão alimentícia.

Presente no "Fofocalizando" desde o seu início, Mara Maravilha deixou o comando da atração em agosto de 2018 em meio a polêmicas. Assim, permanecem à frente da atração Leão Lobo, Mamma Bruschetta, Leo Dias, Décio Piccinini, Lívia Andrade e Gabriel Cartolano, o mais novato entre o sexteto.

Desde novembro, o programa ganhou mais 15 minutos na grade do SBT atendendo uma necessidade de demanda da área comercial.

Mais Notícias